in ,

Viroses lotam unidades de saúde de Salvador

Foto: reprodução

Casos de virose vêm lotando postos de saúde, hospitais e serviços de atendimento de emergências e urgências médicas em Salvador. Entre as principais doenças, Zika, Chikungunya, Dengue e outras doenças causadas por vírus, fizeram aumentar em cerca de 70% a média de atendimentos nas unidades públicas da capital.

Na Vitalmed, empresa de atendimento domiciliar de atendimento de emergência e urgência, a situação não é diferente. Em março, com a mudança de estação e consequentemente de temperatura, o aumento da demanda chegou a 60% acima da média do ano.

“Esta demanda aumentada tem afetado todo o sistema de saúde de Salvador. As emergências da cidade estão lotadas, com grandes filas. E isto não é diferente no sistema de atendimento pré-hospitalar”, afirma o coordenador-médico da Vitalmed, Guilherme Alegreti.

O médico destaca que idosos, crianças e doentes crônicos merecem atenção especial. “Na maioria das vezes as viroses tem curso benigno, ou seja, não apresentam complicações que tragam risco à vida do paciente. Porém, pessoas mais fragilizados podem apresentar complicações da própria virose ou a virose piorar o quadro clínico de base daqueles pacientes já doentes”, diz Guilherme.

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Segundo ele, a doença se manifesta em até quatro dias e depois de manifestado sintomas, pode durar de três a seis. “Na imensa maioria dos casos, a evolução do quadro é autolimitada, ou seja, tem início meio e fim mesmo sem nenhum tratamento. A cura das viroses é baseada no próprio sistema de defesa da pessoa (sistema imunológico). Os remédios usados atuam para aliviar os sintomas enquanto o sistema imunológico age”, frisa.

O coordenador-médico explica que mesmo com estas condições algumas medidas podem ser tomadas para evitar a contaminação. “A higiene das mãos é um dos meios mais eficazes. Tomar cuidados pessoais em lugares de grande circulação de pessoas é essencial. Lavar as mãos após uso de equipamentos públicos como corrimãos de escadas, maçanetas de portas e pilares de sustentação em ônibus são boas maneiras. Também lave as mãos logo ao chegar em casa para evitar de trazer os vírus para dentro de sua residência” afirma o médico.

Guilherme informa ainda sobre os cuidados relacionados com o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika, “o principal está no combate dos focos do mosquito Aedes. O uso de repelentes pessoais, telas nas janelas das casas e mosquiteiros nas camas e berços também é uma medida válida para evitar as picaduras do inseto”, finaliza..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Mulher desvia R$ 360 mil de conta de idosa

Presos fogem de cadeia em Brumado usando macaco hidráulico