Cesare Battisti se casa em SP

 

Cerimônia religiosa foi celebrada por Mãe de Santo (Foto: Reprodução / TV Tribuna)

Cerimônia religiosa foi celebrada por Mãe de Santo (Foto: Reprodução / TV Tribuna)

O ex-ativista italiano, Cesare Battisti, 70 anos, realizou na noite deste sábado (27), a cerimônia de seu casamento em um camping localizado em Cananéia, no Vale do Ribeira, litoral de São Paulo. Os noivos chegaram ao local da cerimônia em uma Kombi e foram recebidos por cerca de 100 convidados. Após o casório os noivos foram para um churrasco e Battisti anunciou que em breve deve lançar um livro narrando suas histórias.

A esposa de Battisti é a brasileira Joice Lima, com quem o italiano mantém um relacionamento há dez anos. “Acho que depois de 10 anos de relacionamento, é uma realização especial para nós dois, ver toda a família reunida, amigos, todos aqueles que nos apoiaram. É um momento de total felicidade”, afirmou a noiva. Toda organização do evento foi realizada pelos amigos do casal, que fizeram questão de demonstrar apoio ao italiano, e não contou com muito luxo. A cerimônia umbandista foi abençoada por uma mãe de santo e durou cerca de 15 minutos.

A celebração religiosa estava marcada inicialmente para às 17h, mas só teve início cerca de duas horas depois. “Ela [Joice] sempre me acompanhou nos momentos difíceis, o casamento era apenas uma formalidade. Pra mim é um dia maravilhoso. Isso tudo só está sendo possível, pois tenho muitos amigos que me ajudaram. Esse é um momento bom que está apenas começando”, contou o italiano.

Battisti preferiu não comentar sobre seu imbróglio com a Justiça, mas faz planos para o futuro. “Agora quero lançar um livro com minhas histórias em setembro e finalizar um trabalho de ficção-história sobre Cananéia, que já está metade finalizado. Não sei fazer outra coisa a não ser escrever. Tudo isso que aconteceu comigo acabou me afastando dessa área, mas tudo bem, pois agora estou rodeado de amigos”, disse.

Sobre a escolha pelo município paulista, o ex-ativista se disse identificado com a cidade. “Tenho um carinho especial pelo município, que me acolheu quando fiquei livre. No início, a população ficou um pouco receosa, mas depois todos me acolheram”, contou o recém-casado.

Acusado de participação no assassinato de quatro pessoas na Itália, Battisti integrava o grupo terrorista ‘Proletariados Armados pelo Comunismo’. Ele  foi julgado e condenado à prisão perpétua, mas fugiu. Após uma passagem pela França, ele se radicou no Brasil. Descoberto, teve sua extradição pedida pela Justiça italiana, no entanto a decisão final ficou à cargo do ex-presidente Lula, que negou o pedido.

Unit´