9 mitos e verdades sobre infecção urinária

Feira de Santana
As infecções urinárias não poupam ninguém – não à toa, são a principal complicação de origem bacteriana em todo o Brasil. Sim, apesar de as mulheres jovens serem as mais atingidas, a doença também afeta pessoas de outras idades e gênero. É por isso que, quando o assunto é essa doença (que, se acabar se complicando, pode levar à morte), é preciso saber distinguir o que é certo do que é errado. A equipe da revista Saúde checou alguns mitos que circulam por aí sobre o assunto – será que algum em que você acreditava foi desmentido? Olha só: 1. “Pega no banheiro?” MITO: As bactérias por trás da encrenca vivem no corpo, não por aí. Nada de segurar o xixi fora de casa. 2. “Suco de cranberry ajuda a prevenir?” VERDADE: Embora ainda não haja estudos definitivos, médicos recomendam o suco ou cápsulas da frutinha contra infecções de repetição. 3. “Friagem faz mal” MITO: Pegar frio no pé ou sentar no gelado não causa cistite. O problema do inverno é beber menos água. 4. “É uma DST” MITO: A dinâmica do sexo facilita a contaminação da uretra por bactérias que já moram em nosso corpo. 5. “Ingerir produtos à base de probióticos ajuda” VERDADE: Alguns produtos e suplementos do gênero equilibram a flora intestinal e auxiliam a combater os micro-organismos por trás da cistite. 6. “Lave sempre mais” MITO: Exagerar na limpeza da região pode ser um tiro pela culatra, uma vez que desorganiza a flora bacteriana local. 7. “Hidratação evita a infecção” VERDADE: Caprichar nos goles de água eleva o volume e a saída de urina, o que ajuda a evitar a multiplicação e instalação dos micróbios. 8. “Tomar suplementos vitamínicos impede a contração” MITO: Multivitamínicos dão uma força para a imunidade, mas não há evidências de que protejam o pedaço. 9. “Tomar antibiótico resolve o problema” VERDADE: É o único tratamento quando a cistite já se instalou. O exame de urina acusa a bactéria causadora e norteia a escolha do remédio.