Pais devem estar atentos ao calendário vacinal dos bebês

O nascimento de um bebê gera várias mudanças na rotina da família. Dentre elas, estão as contínuas visitas ao pediatra e uma novidade que pega de surpresa todos os casais de primeira viagem: o calendário vacinal dos pequenos. Geralmente, esse período se inicia no primeiro dia de vida e se estende até os 18 meses de idade. Por isso, é necessário que os pais estejam atentos aos prazos solicitados para cada tipo de vacina.

Foto: Alberto Coutinho/GovBa

Segundo o Dr. Jessé Alves, médico infectologista do Laboratório Exame, quando uma criança nasce, seu sistema imunológico está exposto a uma série de doenças, como tétano, difteria, coqueluche, diferentes tipos de meningites e hepatites. “Esses problemas de saúde possuem elevado potencial de gravidade e podem colocar a saúde em risco”, explica o especialista.

Alves esclarece que vacinas como a tríplice bacteriana, a poliomielite e a meningite, precisam ser realizadas em duas ou três doses e com reforço após os 12 meses de idade. “A forma e o tempo de execução das doses são feitos dessa maneira porque quando os esquemas vacinais são curtos ou incompletos, a imunidade do bebê ainda não é capaz de garantir uma resposta a longo prazo”, afirma. No caso das vacinas como varicela e tríplice viral (vírus vivos atenuados), precisam ser iniciadas somente após os 12 meses de vida.

De acordo com dados recentes do Ministério da Saúde, em 2017 o Brasil registrou 15.813 novos casos de meningite. O médico afirma que números como esses reforçam o alerta de que doenças comuns como meningites, gripe, coqueluche e outros agentes infecciosos, ainda circulam em nosso meio e se as crianças não forem vacinadas corretamente, podem ser acometidas por estarem vulneráveis.

 

Unit´