Confiança do empresário baiano registra queda de 6,6% em junho

Com queda de 6,6% em relação ao mês de maio, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), apurado pela CNC e Fecomércio-BA, apresentou o seu primeiro resultado negativo do ano. A diminuição se deu através da greve dos caminhoneiros, que comprometeu a percepção de melhora gradual da situação econômica do país – que se manteve constante no primeiro trimestre.

Segundo o levantamento, as perspectivas de investimento nas empresas foi o subíndice mais afetado, com avaliação negativa de -2,5%. O empresário também recuou no quesito intenção de contratação (-0,8%).

O presidente da Fecomércio-BA, Carlos Andrade, comentou sobre o reflexo negativo da greve causou, principalmente no varejo de Salvador e demais municípios baianos, com perdas calculadas em até R$150 milhões por dia. “Inevitavelmente, as paralisações de maio afetaram de forma negativa a confiança dos empresários do comércio. Esperamos que a situação no segundo semestre de 2018 seja mais favorável para a retomada do crescimento da economia”.

Panorama Nacional – De acordo com CNC, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio na escala nacional recuou 3,5% em relação ao mês anterior, registrando sua maior variação negativa desde agosto de 2015 (-4,7%). Economia foi mais afetada do que o setor comercial.

Unit´