Reposição hormonal masculina devolve vigor físico e qualidade de vida

Muito se fala sobre a Terapia de Reposição Hormonal feminina e os seus incontáveis benefícios, mas o método também está disponível para o público masculino como uma das mais recomendadas opções de tratamento para o Hipogonadismo, distúrbio em que os testículos passam a produzir menos testosterona e que está presente em aproximadamente 15% dos homens entre 50 e 60 anos, de acordo com pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

Foto: Reprodução

Entre os principais sintomas da doença estão a diminuição do interesse sexual, dificuldade de ereção, falta de concentração e comprometimento da capacidade intelectual, perda de pelos, ganho de peso, diminuição de massa e força muscular, irritabilidade e insônia.

“Quando a produção de testosterona fica deficiente e irrecuperável, é a vez da Terapia de Reposição de Testosterona devolver o vigor físico e a saúde do paciente. O método pode ser necessário desde o início da adolescência, em função de insuficiência testicular, mas o mais comum é a deficiência no adulto, primordialmente por um estilo de vida que tenha por base o sedentarismo, a ingestão premeditada de álcool e drogas lícitas e ilícitas e uma alimentação desregrada.”, esclarece o Urologista e integrante do corpo médico da Clínica Elsimar Coutinho, Dr. Gabriel Atta.

A dosagem sanguínea da testosterona é um dos exames a serem solicitados para avaliação, cuja frequência será ditada pelas circunstâncias de cada caso. Nos pacientes em que o desenvolvimento não obedece aos padrões pré-estabelecidos, pode ser necessário iniciar a reposição para recuperar a evolução ou repor a testosterona.

Mas atenção! “Não se deve esperar pelo aparecimento de sintomas e sinais de déficit do hormônio, pois o tratamento tardio é complexo e pode não haver recuperação completa. A recomendação é de que sejam realizadas checagens anuais.”, alerta o médico.

Sobre o especialista

O Dr. Gabriel Atta é graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), fez residência médica em Cirurgia Geral e Emergência, além de pós-graduação em Urologia. Como Urologista, foi um dos fundadores pioneiros do programa de Planejamento Familiar da Promédica e introdutor da técnica chinesa de vasectomia, aprimorando a já consagrada opção masculina para evitar filhos. Atualmente, se dedica a Urologia Geral com foco em doenças da próstata, reprodução humana, terapia hormonal e disfunções sexuais.

Unit´