in ,

Estudante de Feira participará de evento na Rússia

Rafael foi classificado na etapa regional, em 2017, e na nacional, em 2018, realizada no Piauí. (Foto: Reprodução)
Rafael foi classificado na etapa regional, em 2017, e na nacional, em 2018, realizada no Piauí. (Foto: Reprodução)

Rafael Cordeiro, 20 anos, participa da maior competição de educação profissional do mundo. É que ele está entre os 63 jovens selecionados para disputar uma vaga na equipe brasileira que irá competir na WorldSkills. A 45ª edição do desafio ocorrerá de 22 a 27 de agosto, no Centro Internacional de Exposições KAZAN EXPO em Kazan, na Rússia.

Rafael foi classificado na etapa regional, em 2017, e na nacional, em 2018, realizada no Piauí. Técnico em logística formado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), ele vai competir na nova modalidade de logística internacional.

O jovem conta que estava apreensivo durante as seletivas. “Eu fui sem a pretensão de ganhar. Fui lá pensando que ia levar bomba, achei que tinham muitas pessoas melhores que eu. Por sorte, a competição focou em uma área muito específica do curso técnico, então acho que isso fez com que eu tivesse mais vantagem”, afirma.

O técnico mora em Feira de Santana, com os pais e o irmão mais velho. Assim que terminou o ensino médio, em 2016, ingressou na faculdade de engenharia da computação, mas acabou descobrindo que aquela não era sua vocação. Percebeu que gostava mesmo era de se comunicar e de atuar na área administrativa, especificamente, com finanças.

Começou o curso técnico e passou a conciliar com a graduação em administração. Além disso, se dedicou aos treinamentos para a Olimpíada do Conhecimento, que o credenciou para a WorldSkills.

Ansioso para o mundial, Rafael diz saber que com todo esse reconhecimento, vem também a responsabilidade de trazer o título para o Brasil. “Espero honrar com a responsabilidade que me foi concedida pelo primeiro lugar. Sei que outras pessoas tão boas ou até com habilidades mais desenvolvidas que eu queriam estar no lugar que estou, então é honrar mesmo”, ressalta.

Desde o dia 14 de janeiro, Rafael está em Brasília, onde passará pela última fase de treinamentos para a WorldSkills. Ele e aproximadamente 50 jovens devem permanecer na capital federal até a competição. Representantes de algumas modalidades irão se preparar também nos centros de treinamento do SENAI localizados em Belém, Porto Alegre, Belo Horizonte e Joinville, em Santa Catarina.

Educação Profissional

Assim como para Rafael, a educação profissional impacta positivamente a vida de diversos jovens no Brasil. Em 2017, cerca de 80% dos estudantes que concluíram cursos técnicos foram inseridos no mercado de trabalho já no primeiro ano.

De acordo com levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o curso técnico é o caminho mais rápido para a inserção qualificada do jovem no mundo do trabalho e também uma opção para quem está desempregado e busca recolocação no mercado. O salário de um profissional técnico varia entre R$ 8,5 mil e R$ 12 mil.

Segundo o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, o país tem potencial em educação profissional. “O Brasil tem sido representado pelo SENAI e pelo Senac, que tem as ocupações mais da área do comércio e serviços, e o Brasil fica sempre entre os primeiros colocados”, afirma.

A WorldSkills é realizada a cada dois anos e reúne os melhores alunos de países das Américas, Europa, Ásia e África e Pacífico Sul para disputarem medalhas em modalidades que correspondem às profissões técnicas da indústria e do setor de serviço. Há mais de 65 anos, a competição reúne jovens qualificados de todo o mundo, selecionados em olimpíadas de educação profissional de seus países, realizadas em etapas regionais e nacionais.

 

*Folha do Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Prouni abre consulta para vagas na Bahia

OAB pede suspensão de novos cursos jurídicos ao ministério da educação