in ,

Rui diz que troca de mensagens “provoca profunda indignação”

O governador da Bahia usou as redes sociais para se manifestar sobre a troca de mensagens entre procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e o então juiz Sérgio Moro

Foto: Divulgação

O governador Rui Costa (PT) usou as redes sociais para se manifestar sobre a troca de mensagens entre procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e o então juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro (PSL). As conversas foram divulgadas pelo site “The Intercept” e caíram como uma bomba no meio político. “É muito grave. Provoca profunda indignação. É fundamental que todo o conteúdo seja esclarecido. O Brasil precisa saber toda a verdade. Caso contrário o País continuará sem oferecer segurança Jurídico Institucional, Credibilidade e Confiança. O Brasil precisa recuperar sua imagem no mundo. Chega de mentir e perseguir. É preciso retomar a credibilidade em nossas instituições”, publicou o governador nas redes sociais.

O senador e ex-governador Jaques Wagner (PT) publicou um vídeo nas redes sociais em que Lula faz críticas contra a Lava Jato. E legendou: “A verdade sempre esteve com Lula”. O senador Ângelo Coronel (PSD) vai coletar assinaturas para instalar uma CPI da Lava Jato. “O povo brasileiro há de se envergonhar se forem confirmadas as recentes divulgações dos diálogos entre o ex-juiz Moro e membros do MPF. Fruto dessas postagens farei requerimento à CCJ convocando os atores envolvidos para se explicarem e instalar uma CPI. Vou torcer pra ser mentira”, escreveu, no Twitter.

O deputado federal Daniel Almeida, líder do PCdoB na Câmara e coordenador da bancada baiana, afirmou que “é nítida a combinação de procedimentos da lava-jato para produzir resultados políticos, com o objetivo de interferir no processo político brasileiro”. “A divulgação de conversas revela um dos principais e maiores escândalos da República. É evidente a combinação de procedimento na Lava Jato para produzir resultados políticos. Não é possível que um juiz conduza o processo de investigação e combine com os investigadores com o objetivo de atingir pessoas, de interferir no processo político brasileiro. Fica claro o conluio, a combinação que se produziu na Operação Lava Jato para produzir resultados políticos. Isso precisa passar por profundas investigações. Moro não pode continuar onde está, terá de ser afastado”, declarou.

A deputada Alice Portugal (PCdoB) classificou a troca de mensagens como um ataque frontal à democracia brasileira. “O site The Intercept Brasil descortinou o que já afirmávamos: agentes do Estado atuaram para afastar a esquerda do governo; derrubaram uma presidente eleita; prenderam um ex-presidente inocente; interferiram diretamente nas eleições. A resultante é o país desgovernado. Segundo o boletim Focus, a previsão de crescimento do PIB recuou para 1% – o 15º corte seguido. O Brasil tem mais de 13 milhões de desempregados”, afirma.

Para a parlamentar, faz-se urgente apreciar as provas obtidas, que mostram a orientação de um juiz a um procurador e todas as ramificações desta articulação política, por dentro do tecido jurisdicional. Ela cita que o Código de Processo Penal, no seu Artigo 254, diz, que o juiz será considerado suspeito se tiver aconselhado qualquer das partes do processo. Além disso, o Artigo 564, traz que a nulidade ocorrerá nos casos por incompetência, suspeição ou suborno do juiz.  “Parece-me claro que são nulas de Direito as decisões tomadas sobre a modelagem da ilegalidade. Só a democracia consolida a vontade popular”. Informação Tribuna da Bahia

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Comentários

0 Comentários

Powered by Facebook Comments

Trabalhadores do metrô aderem à paralisação na próxima sexta-feira

Universitários devem revalidar o cartão Via Feira Estudantil a partir do dia 15