in ,

Prefeito Ito de Bêga quer R$ 38 mil de estudante por ofensas no facebook

O prefeito de Conceição do Almeida, Adailton Sobral (Ito de Bêga), quer uma indenização no valor de R$ 38 mil, em razão de publicações no facebook, consideradas por ele ofensivas. As postagens são atribuídas ao estudante Pedro Coni e Coni.

A ação tramita no Fórum de Conceição do Almeida, com a primeira audiência programada para a próxima sexta-feira (12). A tentativa de conciliação entre eles está prevista para às 11h15.

Na ação, o prefeito de Conceição do Almeida afirma que o estudante Pedro Coni utiliza a rede social para ofendê-lo, com intuito de atingir a imagem dele perante a população.

Em umas dessas postagens, o prefeito Ito de Bêga diz que está sendo acusado de ter gasto mais de R$ 121 mil, com fogos de artifício, somente no révellion de 2017/2018. O prefeito retruca e diz que essa licitação foi realizada para atender diversos festejos culturais ao longo do ano.

FACEBOOK

O site Olá Bahia teve acesso a ação judicial movida por Ito de Bêga contra o estudante Pedro Coni. O prefeito apresenta na ação uma nota fiscal no valor de R$ 15.729 gasto no festejo.

Ito de Bêga ressalta que esta não é a primeira vez o estudante Pedro Coni promove ofensas contra ele em sua rede social. Com isso, ele estaria tentando, segundo o prefeito, desabonar a sua conduta.

Além do pedido de indenização no valor de R$ 38.160,00, o prefeito de Conceição do Almeida também quer a Justiça determine a retirada das publicações da página do facebook do estudante, sob pena do pagamento de multa no valor de R$ 500, por hora.

O prefeito Ito de Bêga também busca retratação por parte do estudante em sua própria página no facebook. O siteOlá Bahia não conseguiu falar com Pedro Coni e Coni.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Loading…

0

Comentários

0 Comentários

Powered by Facebook Comments

Ex-prefeito de Anguera tem pedidos negados pela Justiça Federal

Professora da UEFS consegue licença maternidade em relação homoafetiva