in ,

John B. Goodenough passa a ser a pessoa mais velha a ganhar o Nobel

O americano John B. Goodenough, de 97 anos, é a ser a pessoa mais velha a ganhar um Nobel. Ele foi premiado nesta quarta-feira (9) com o Nobel de Química pelo desenvolvimento de baterias de íons de lítio, ao lado do britânico M. Stanley Whittingham e do japonês Akira Yoshino. Goodenough nasceu em 1922 em Jena, na Alemanha, e ocupa a Cadeira Cockrell em Engenharia na Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos.

Até então, o mais velho laureado era Arthur Ashkin, de 96 anos, que ganhou o Nobel em 2018 por sua pesquisa em pinças ópticas e a aplicação delas em sistemas biológicos. Ele dividiu o prêmio com o francês Gérard Mourou, de 74 anos, e a canadense Donna Strickland.

Nobel de Química 2019: Descoberta no início da década de 70, as baterias são usadas em celulares, notebooks e carros elétricos. Veja o perfil dos outros vencedores:

M. Stanley Whittingham, de 77 anos, é professor na Universidade Binghamton, parte da Universidade Estadual de Nova York, também nos Estados Unidos.

Akira Yoshino, de 71 anos, é professor na Universidade Meijo, em Nagoya, no Japão, e Membro Honorário da corporação Asahi Kasei, em Tóquio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Conselho Tutelar: 15 terão nova votação

Marília Mendonça aprova sugestão de Dia da Sofrência no Rock in Rio