in ,

Enem 2019 para pessoas privadas de liberdade será aplicado nesta terça e quarta

A edição 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para pessoas privadas de liberdade (PPL) será aplicada nesta terça e quarta-feira (10 e 11). Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 46.163 pessoas cumprindo penas ou medidas socioeducativas estão inscritas para as provas.

Segundo o órgão, o número de candidatos do chamado Enem PPL cresceu 12,5% em um ano: em 2018, 41.044 pessoas se inscreveram das provas. A reaplicação do Enem também será feita para os candidatos da edição regular que, por algum motivo de logística da organização do exame, foram prejudicados e solicitaram uma nova oportunidade para realizar a prova.

O Enem regular ocorreu nos dias 3 e 10 de novembro e, neste ano, pela primeira vez o Inep não concedeu automaticamente o direito de reaplicação aos candidatos presentes nas provas em locais onde houve intercorrências ou problemas logísticas.

Dessa vez, para ter o direito de refazer o Enem, cada candidato deveria fazer a solicitação de reaplicação no site do Enem. O prazo para enviar o pedido ocorreu entre 11 e 18 de novembro, e o resultado saiu em 26 de novembro.

Pela primeira vez, o Inep não informou quantos candidatos da edição regular do Enem vão refazer as provas durante a reaplicação. Em nota enviada ao G1 no fim de novembro, a autarquia do MEC afirmou que “não divulga balanço do processo por questões de sigilo e segurança da prova” e que a consulta do resultado da solicitação foi feita de forma individual.

Na aplicação regular do Enem 2019, o Inep anunciou, após a divulgação do gabarito oficial, que uma das 180 questões de múltipla escolha havia sido anulada por repetição. Por causa da metodologia do Enem, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), a anulação não afeta a correção e nota dos candidatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

127 mil beneficiários do Bolsa Família podem perder auxílio em Salvador

Bolsonaro chama Greta de ‘pirralha’ após post da ativista sobre índios