in ,

Moradores se unem e criam grupo na internet para ajudar autônomos em isolamento social

Moradores do Horto Florestal, em Salvador, se reuniram para ajudar financeiramente profissionais autônomos do bairro, que estão sem renda por causa do isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus. A iniciativa deu tão certo, que se espalhou por outras localidades da capital, como Pituba e Vitória.

Tudo começou com as amigas Renata Rangel e Sandy Najar. Elas resolveram criar o “Dissemine amor” para que os ambulantes, lavadores de carro, baianas de acarajé, vendedores de fruta e outros autônomos do bairro pudessem ficar em casa, sem se preocupar com a falta de renda no final do mês.

O grupo reuniu mais de 250 moradores no Horto, que, juntos, garantiram a ajuda de um salário mínimo para 14 ambulantes e prestadores de serviço do bairro. “Muitos deles fazem parte do nosso dia a dia. O pessoal da feira, a moça do beijú, que todo mundo vai, o chaveiro, o rapaz da água de coco”, exemplificou Renata, que é advogada.

Com o sucesso da ação, o grupo foi ampliado para outros bairros, através das redes sociais. Na Pituba, outros 14 ambulantes já têm o salário mínimo garantido, e, na Vitória, outros 12 também terão uma renda.

“A gente sabia que seria muito bom, mas a gente não sabia que seria tão bom. Então foi incrível a adesão de todos, a participação de todos. Porque cada um ajuda do jeito que pode”, avaliou Sandy, que é empresária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Propaganda do governo Bolsonaro pede fim de isolamento

Detran-BA suspende prazos para procedimentos de trânsito por causa do coronavírus