in ,

INSS reabre com hora marcada e novo protocolo

Foto: Reprodução/Internet

Depois de meses fechadas por conta da pandemia, as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a reabrir para atendimento presencial na próxima segunda-feira (14). Para a reabertura, uma portaria publicada hoje (11) no Diário Oficial da União estabelece as medidas de prevenção que deverão ser adotadas.

Em um primeiro momento, o atendimento será retomado em 650 das 1,5 mil agências do país. O instituto optou por reabrir as maiores agências, que respondem por cerca de 70% da demanda. O horário de funcionamento será das 7h às 13h.

Só será atendido quem agendar antes o atendimento. O objetivo é evitar aglomerações dentro e fora das agências. O agendamento deve ser feito pelo  Meu INSS (pelo site e aplicativo) e telefone 135.

Os servidores, empregados públicos, contratados temporários, estagiários, terceirizados e colaboradores deverão usar Equipamentos de Proteção Individual para realização das suas atividades.

Se a temperatura se mantiver indicativa de febre (mais que 37,5°C), o acesso do segurado será negado e ele será orientado a procurar uma unidade de saúde ou um médico. O funcionário deverá ainda orientar o cidadão a realizar o reagendamento do serviço pelos canais remotos.

Reabertura terá restrição de serviços
Segundo o INSS, estarão disponíveis para atendimento presencial os serviços de: perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justificação administrativa e reabilitação profissional.

Prova de vida segue suspensa
Segue suspensa, até 30 de setembro, a exigência de recadastramento anual de aposentados e pensionistas, a chamada prova de vida, de acordo com instrução normativa do Ministério da Economia. A partir de 1º de outubro, os segurados deverão buscar a agência onde recebem o benefício para atender à exigência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Operação contra quadrilha de roubos de carga tem 10 suspeitos presos no RJ

Código de Defesa do Consumidor faz 30 anos