in

Garoto de 11 anos é morto com tiro em São Sebastião do Passé

Breno Cardeal Souza. Foto: Arquivo pessoal.
           Breno Cardeal Souza. Foto: Arquivo pessoal.

A morte de Breno Cardeal Souza, de 11 anos, ainda é um mistério para a Polícia Civil. O menino morreu na noite da segunda-feira (2), no povoado de Água Preta, no município de São Sebastião do Passé (Região Metropolitana de Salvador).

Conforme o major José Luís Ventura, comandante da 10ª CIPM (Candeias), ao portal A Tarde, o garoto foi encontrado morto, com um tiro na nuca, dentro do bar da família dele, na Fazenda Gitai. Contudo, uma fonte afirmou à reportagem que Breno Souza foi atingido acidentalmente por um amigo, também criança, que estava com a arma de um parente, que seria policial militar.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas quando chegou ao local, o menino já estava morto. “Fomos acompanhado o Samu, mas, infelizmente, a criança já estava morta. Ele estava caído no bar que funciona na residência”, conta o major.

Ainda segundo ele, além do garoto, outras pessoas estavam no imóvel. “Ninguém falou nada, não sabemos como aconteceu, quem atirou. As testemunhas que estavam lá no local foram levadas para a delegacia”, completa Ventura.

O corpo de Breno Souza foi liberado na manhã dessa terça-feira (3) do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), em Salvador, e sepultado no cemitério municipal de São Sebastião, às 16h30.

Polícia ainda busca pistas

O caso é investigado pela Delegacia de São Sebastião. A reportagem entrou em contato com a delegada Joana Angélica Santos, mas ela disse que o levantamento cadavérico havia sido feito por uma equipe de plantão do Serviço de Investigação de Local de Crime da Região Metropolitana e ainda não tinha informações sobre o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos começa em 104 postos de Salvador

Nova lista aponta 269 servidores que receberam supersalários no TJ-BA