Após afastamento de prefeito, vice assume prefeitura de Sítio do Quinto

O afastamento do prefeito se deu após verificação de improbidade administrativa e suposto desvio de verbas, além de contas reprovadas pelo TCM e licitações duvidosas. (Foto: Reprodução / Portal do Cleriston)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
O afastamento do prefeito se deu após verificação de improbidade administrativa e suposto desvio de verbas, além de contas reprovadas pelo TCM e licitações duvidosas. (Foto: Reprodução / Portal do Cleriston)
O afastamento do prefeito se deu após verificação de improbidade administrativa e suposto desvio de verbas, além de contas reprovadas pelo TCM e licitações duvidosas. (Foto: Reprodução / Portal do Cleriston)

Por cinco votos a quatro, a Câmara de Vereadores do município de Sítio do Quinto – Região Nordeste Baiana – afastou por 90 dias o prefeito Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa (PDT). O afastamento se deu após denúncia protocolada na Câmara em 27 de novembro 2015 e depois de analisada por uma comissão foi verificado indícios de improbidade administrativa e suposto desvio de verbas, além de contas reprovadas pelo TCM e licitações duvidosas.

A sessão foi tensa e o vereador Cleidivaldo Carvalho Santa Rosa (PSDB), mais conhecido por Bado, irmão do prefeito Cleigivaldo Carvalho, precisou se afastar e o primeiro suplente Marcelo Gama (PT) assumir para dar continuar a sessão e ocorrer à votação. A tensão foi grande e alegando nunca ter vivenciado essa realidade, o presidente da Câmara, Rodrigo Dias Santa Rosa (PDT), aliado prefeito, suspendeu por duas vezes os trabalhos.

No exercício do segundo mandato, o prefeito Cleigivaldo Carvalho foi preso pela Polícia Federal na operação 13 de maio e teve cinco, das suas contas reprovadas pelo TCM e a única aprovada, em 2009, foi com ressalvas. Com o afastamento Cleigivaldo, assumiu o cargo imediatamente o vice-prefeito Jair Jesus dos Santos (PP), Jair dos Correios, como é conhecido, anunciou em agosto seu rompimento com o prefeito alegando que os projetos desenvolvidos pela atual administração não correspondiam ao plano de governo aprovado nas urnas em 2012.  (Fonte: Calila Notícias)