Bando é flagrado após comemorar sucesso de assaltos

Jamile, Vanessa, Reginaldo e Daniel foram presos por PMs ao sair de hotel na quinta-feira (10). Foto: Edilson Lima.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Jamile, Vanessa, Reginaldo e Daniel foram presos por PMs ao sair de hotel na quinta-feira (10). Foto: Edilson Lima.
              Jamile, Vanessa, Reginaldo e Daniel foram presos por PMs ao sair de hotel na quinta-feira (10). Foto: Edilson Lima.

“Foi uma noite de glória, luxando e bebendo champanhe em um hotel”, declarou Reginaldo Sousa da Silveira, de 21 anos, o Reginho, sobre a comemoração pelos roubos da quadrilha na orla de Salvador. Porém o amanhecer não foi tão glorioso quanto a noite de ostentação. Quando ele e três comparsas saíam do hotel, na avenida Suburbana, na manhã de quinta-feira (10), foram abordados e presos por policiais da Operação Apolo.

Os militares estavam em ronda e suspeitaram do grupo. Ao abordá-lo, encontraram 20 celulares e desconfiaram que pudessem ter sido adquiridos por meio de roubos. Os policiais conseguiram que Reginaldo Silveira e os comparsas os levassem a uma casa, em Plataforma, onde apreenderam mais itens roubados, como cartões de crédito, celulares, documentos e outros objetos pessoais de vítimas.

“A gente rouba para isso, para viver bem”, completou Reginaldo, que revelou integrar uma quadrilha liderada por um homem apelidado de Coroa, preso no Complexo Penitenciário do Estado, na Mata Escura. “Coroa é quem manda em nós. Coroa é o homem”, disse Daniel Cardoso Santos, 18 anos. “O cara paga nosso aluguel, coloca comida em nossa barriga. A gente faz o que o cara quer”, completou Reginaldo.

A delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª Delegacia (Pituba) informou que Reginaldo, a namorada Vanessa da Silva Santana, 18, Daniel e Jamile Ramos da Lima, 20, e mais quatro pessoas são suspeitos de ter roubado uma churrascaria na avenida Octavio Mangabeira, na Boca do Rio, na noite da última quarta (9).

Arrastões na orla

Segundo a delegada Maria Selma Lima, a atuação da quadrilha consiste em fazer arrastão em toda a orla de Salvador. “A gente já estava atrás desse grupo por causa das ocorrências de roubo a transeuntes e a estabelecimentos comerciais na área da 16ª DT”, afirmou a delegada.

Uma testemunha contou que três homens armados com revólveres calibre 38, três travestis e duas mulheres participaram do roubo à churrascaria. O grupo chegou em dois carros brancos, sendo um Voyage e um Polo.

“Uma travesti estava com uma criança, que aparentava ter 4 anos de idade, no colo. Muito agressiva, ela deu tapas nos clientes. Ela ainda sentou na mesa e comeu a pizza de um dos clientes”, contou.

Assaltantes são reconhecidos por clientes de churrascaria

Havia 26 clientes na churrascaria situada na Av. Octavio Mangabeira, na Boca do Rio, na noite de quarta, no momento do roubo. Dez deles estiveram na delegacia e reconheceram os ladrões, conforme a polícia. O Polo branco usado no assalto foi apreendido pelos policiais militares. Reginaldo disse que os veículos vieram de Feira de Santana e Camaçari. Depois, afirmou que foram roubados e clonados por eles. Vanessa disse que, na quarta, foi a primeira vez que praticou um crime. “Por causa do meu sobrinho, que estava sem as coisas, fraldas e leite. Ele é como um filho para mim”, afirmou a jovem.

De acordo com a polícia, Jamile confessou roubar desde os 13 anos. “Eles são da facção Caveira”, afirmou a titular da 16ª Delegacia, Maria Selma Lima. O grupo foi autuado por roubo e encaminhado ao Núcleo de Prisão em Flagrante, no Complexo Penitenciário do Estado.

Com informações do site do jornal A Tarde.