Brasil avança em ranking de melhores emergentes, mas segue entre os mais frágeis

Dinheiro disponível para saque no sábado (20). Foto: russas.ce.gov.br.
Dinheiro disponível para saque no sábado (20). Foto: russas.ce.gov.br.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

O Brasil melhorou sua posição em um ranking do Bank of America Merrill Lynch sobre os mercados emergentes mais fortes, que leva em conta indicadores econômicos e de estabilidade financeira, mas ainda segue como um dos “três frágeis”, junto com África do Sul e Turquia. “O Brasil conseguiu superar a África do Sul e a Turquia desde o último levantamento, feito há seis meses”, afirma o estrategista do BoFA para emergentes, David Hauner, em um vídeo comentando o relatório divulgado nesta terça-feira, 12. Na economia brasileira, ele destacou a forte melhora das contas externas do país e as reservas internacionais, que garantem um colchão importante de proteção. Sobre a África do Sul, Hauner ressaltou o déficit fiscal e nas contas externas do país, além de inflação elevada. Considerando o ranking dos dez principais emergentes, a China perdeu a liderança para a Coreia do Sul. O Brasil saiu da última posição há seis meses e agora está em oitavo. A Turquia está em nono e a África do Sul na lanterna. Da América Latina, o destaque é o México, na sexta colocação. (Estadão Conteúdo)