Câmara rejeita incluir na Constituição financiamento de campanha por empresas

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Mesmo com 264 votos favoráveis e 207 contrários, a proposta que incluía na Constituição Federal a doação de empresas a campanhas eleitorais e partidos políticos foi rejeitada pela Câmara na madrugada desta quarta-feira (27). Mudanças na Constituição necessitam de, pelo menos, 308 votos a favor. Com isso, permanece o atual modelo misto de financiamento de campanhas eleitorais (público e privado com doações de pessoas físicas e jurídicas).

Pouco antes os deputados também rejeitaram os modelos propostos de alteração no sistema das eleições legislativas. Os deputados voltarão a discutir ao meio dia de hoje outras propostas de financiamento de campanhas, como a que permite a doação apenas de pessoas físicas. As votações fazem parte da proposta de emenda à Constituição da reforma política (PEC 182/07).

Também integram a pauta de votação os seguintes temas: Fim ou não da reeleição; Tempo de mandato de cargos eletivos; Coincidência de mandatos; Cota para as mulheres; Fim das coligações; Cláusula de barreira; Outros temas independentes: voto obrigatório e data da posse presidencial.

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.