Instaurados 30 processos contra empresas envolvidas na Lava Jato

Valdir Simão, ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU). Foto: Reprodução/Rdnews/Gilberto Leite
Valdir Simão, ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU). Foto: Reprodução/Rdnews/Gilberto Leite

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

O ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Valdir Simão, disse nesta quinta-feira (16) em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, na Câmara, que a CGU já instaurou 30 processos para investigar a participação de empresas em fraudes em contratos da Petrobras, além de outros 19 para apurar a responsabilidade de funcionários e ex-funcionários da estatal envolvidos no esquema investigado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Valdir Simão, ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU). Foto: Reprodução/Rdnews/Gilberto Leite
Valdir Simão, ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU). Foto: Reprodução/Rdnews/Gilberto Leite

De acordo com o ministro, 29 dos 30 processos instaurados contra empresas foram decorrentes das investigações da Lava Jato e foram iniciados a partir do compartilhamento de informações com a Justiça Federal no Paraná, que conduz os inquéritos na primeira instância.

À CPI, Simão informou que seis empresas investigadas já manifestaram interesse em celebrar acordo de leniência, que permite ao infrator participar da investigação, com o fim de prevenir e reparar dano causado. Segundo Simão, o Tribunal de Contas da União (TCU) já se posicionou em relação a cinco pedidos de acordo.

*As informações são da Agência Brasil