Com acesso garantido, equipe do Vitória vai ao Bonfim para agradecer

Diego Renan, Diogo, Elton, Jorge Wagner, Norberto e outros do elenco do Vitória agradecem durante missa. Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Diego Renan, Diogo, Elton, Jorge Wagner, Norberto e outros do elenco do Vitória agradecem durante missa. Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO.
Diego Renan, Diogo, Elton, Jorge Wagner, Norberto e outros do elenco do Vitória agradecem durante missa. Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO.

São José, São João Batista, São Sebastião, São Benedito, Divino Espírito Santo, Nossa Senhora Auxiliadora, dos Prazeres, do Carmo, da Conceição, da Apresentação, da Boa Viagem, da Luz, da Assunção e é claro, da Vitória. Durante a Série B deste ano, o presidente do Vitória, Raimundo Viana, pediu ajuda a quase todos os santos que foram possíveis. “É uma tradição minha nos jogos fora de casa. Sempre visito a igreja padroeira da cidade”, revela. “Só não achei São Raimundo, que é o meu. Ô santo desprestigiado”, diverte-se.

Nesta terça-feira (24) foi a vez de prestigiar o santo mais famoso da Bahia. Dirigentes, integrantes da comissão técnica e jogadores do Leão foram à Igreja do Senhor do Bonfim para agradecer pelo acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Dessa vez, nada de pedidos. “Tenho que agradecer por termos superado todos os obstáculos dessa jornada. Arbitragem, lesões, descrença, desânimo da torcida”, enumera o presidente.

Mesmo os atletas que não são católicos subiram a Colina Sagrada para manter a tradição do clube. “Cada um acredita na sua religião, mas é uma programação do clube e hoje é o momento de agradecer. Passamos um ano complicado”, lembra o atacante Elton, 30 anos, que é evangélico e visitou pela primeira vez a igreja mais famosa do estado onde nasceu. “Vim para agradecer por tudo e principalmente pela subida. Foi um ano difícil”, reforça o zagueiro Kanu.

O técnico Vagner Mancini seguiu a tradição baiana e escolheu uma fitinha vermelha e preta para amarrar no punho. “Não sei nem se tenho direito de pedir nada depois desse ano maravilhoso, mas já estou com a minha fitinha aqui para fazer meus pedidos”, afirma o comandante, aos risos. O último jogo de 2015 é sábado (28), contra o Santa Cruz, às 16h30, no Recife. O presidente Raimundo Viana nem vai precisar pedir a ajuda de Nossa Senhora do Carmo dessa vez…

Com informações do Correio 24 horas.