Confira como não cair no golpe do boleto bancário

3

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Quem nunca pagou um produto ou serviço por meio de boletos bancários? Essa prática sempre foi e continua sendo comum para os consumidores. Porém alguns cuidados devem ser tomados para evitar danos materiais, já que taxas indevidas e golpes também são constantes nessa forma de pagamento.

Várias instituições financeiras cobram do fornecedor algumas taxas pelos boletos, que, conforme o Procon de São Paulo, são abusivas e não podem ser repassadas para o consumidor. Diante disso, o órgão de defesa do consumidor paulista listou dicas e cuidados que todo consumidor deve ter ao aceitar um serviço/produto que será pago por meio de boleto bancário.

Confira:

Erros básicos no boleto

Fique atento a qualidade do documento. Muitos dos boletos falsos enviados para residências possuem erros básicos de português; formatação fora do padrão, como impressão torta, etc.

Falta de exatidão nos dados

Ao receber qualquer boleto em sua residência, verifique também se o seus dados estão corretos (nome completo e endereço). Não deixe de observar também o nome da empresa responsável pelo envio.

Atenção ao código de barras

Confira o código bancário e certifique-se de os três primeiros números da linha digitável do boleto corresponde ao código do banco emissor do documento, cuja lista pode ser acessada no site da Febraban (Federação Brasileira de Bancos). Se os números não baterem, não faça o pagamento e procure o fornecedor.

Suspeite de e-mails

Desconfie de notificações de pagamentos, links ou arquivos anexos que levem a boletos, recebidos por e-mail. Não clique ou abra qualquer link até confirmar com a empresa que a correspondência é válida.

Atenção máxima no ato do pagamento

Antes de concluir o pagamento, verifique se os dados do cedente, informados na tela após a leitura ou digitação dos números do código de barras, correspondem ao fornecedor do produto ou serviço contratado.

Verifique o que vocês está pagando

Não efetue o pagamento antes de certificar-se de que possui mesmo o débito junto ao fornecedor em questão.

Apure se o site é confiável

Nas compras realizadas no comércio eletrônico verifique se o endereço do site é iniciado com https:// (isso indica que o site é seguro). Além disso, mantenha programas de antivírus e firewall atualizados. Outra dica é ver se o site consta nessa lista de não recomendados.

Em caso de prejuízo, o Procon-SP recomenda que se procure o fornecedor para revolver a questão. Não havendo acordo, a opção é registrar uma reclamação junto ao órgão de defesa do consumidor mais próximo e fazer um Boletim de Ocorrência para que as autoridades policiais possam investigar a prática de eventuais crimes.

Com informações do site do jornal Tribuna da Bahia.

Imagem de capa extraída do site Cidadão Consumidor.