Deputado Adolfo Menezes analisa reintrodução da reeleição na Bahia

Foto: Reprodução / Redes Sociais
Foto: Reprodução / Redes Sociais

Em entrevista ao site Olá Bahia, o Deputado Adolfo Menezes comentou sobre a tramitação da PEC da reeleição na Bahia. Ele destaca a diferença entre mudança constitucional e emenda, explicando que anteriormente, por iniciativa sua, a reeleição foi proibida na constituição estadual. Agora, 48 deputados apresentaram emenda para reintroduzir a reeleição, já com relator designado e prazo para votação. Menezes acredita que a votação pode ocorrer neste mês de março, dependendo do apoio de 38 colegas.

“São duas questões distintas. Na época do ex-presidente Marcelo Nilo, quando tentava prolongar seu mandato, apresentei uma proposta que proibia a reeleição na Bahia, alterando a constituição estadual. Atualmente, 48 colegas deputados propuseram uma emenda para reintroduzir a reeleição. O prazo para o relator apresentar seu parecer expira hoje, e a partir de quarta-feira, a matéria estará pronta para votação. Acredito que nos próximos quinze dias teremos uma decisão. Embora a decisão final requeira 38 votos favoráveis, estou otimista de que, neste mês de março, alcançaremos um consenso”, salientou Adolfo Menezes.

O deputado também aborda a disputa por uma vaga no Tribunal de Contas e Municípios entre Marcelo Nilo e Paulo Rangel. Destaca as chances de Rangel, apoiado pela base do governador, e a situação de Nilo com o apoio da oposição. “Ambos eram políticos experientes, com condições para serem conselheiros. Paulo Rangel, apoiado pela base governista, tinha vantagem com mais de 44 deputados, enquanto Marcelo Nilo contava com o apoio da oposição, totalizando 20 deputados. A disputa foi acirrada, mas Rangel acabou sendo mais favorecido”, comentou.

Em relação à PEC da eleição em Brasília, o deputado Adolfo Menezes acredita que a Bahia tomará uma decisão neste mês de março, mas isso depende da maioria dos deputados, sendo necessários 38 votos favoráveis. “No cenário nacional, os presidentes da Câmara e do Senado indicaram a análise da PEC da eleição para março na CCJ. Estamos atentos a esses desdobramentos.”

Quanto ao processo contra o deputado estadual Binho Galinha, Adolfo Menezes afirmou que a situação exige a formação do Conselho de Ética, conforme o regimento e a lei da Assembleia. “Já solicitei aos líderes Rosemberg Pinto e Alan Sanches que indiquem os membros para iniciarmos os trabalhos. Não podemos ignorar essa questão, e hoje novamente cobrarei a indicação dos líderes para darmos andamento ao processo”, finaliza.

Com informações: Elias Lúcio

Por: Mayara Silva

 

Outras Notícias