Detentos pretendiam fazer rebelião em Itabuna

Foto: itabunaurgente.com.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Foto: itabunaurgente.com.
Foto: itabunaurgente.com.

Os cerca de 450 presos em greve de fome no Pavilhão 1 do Conjunto Penal de Itabuna pretendiam fazer uma rebelião, porém a tentativa de motim foi frustrada com a vistoria das celas nesta quarta-feira (27), quando a greve de 48 horas acabou. A informação foi passada pelo diretor da unidade prisional, Adriano Valério Jacome da Silva, em entrevista ao G1. Na inspeção das celas, que durou cerca de 4 horas, os policiais encontraram facas artesanais e celulares.

Vinte detentos que lideraram a greve foram transferidos para os conjuntos penais de Lauro de Freitas e Serrinha nesta quinta-feira (28). Os presos exigiam a volta de outros internos transferidos para Salvador há cerca de um ano. Em outubro de 2014, os detentos desse mesmo Pavilhão 1 também fizeram greve de fome, pois não queriam usar fardamento e pediam que a refeição oferecida fosse de fora do presídio.

Rebelião em Feira e greve dos agentes penitenciários

No início desta semana uma rebelião em Feira de Santana terminou com nove presos mortos. Cerca de 70 familiares de detentos, inclusive crianças, foram feitos reféns. No presídio feirense, o coordenador geral do Sindicato dos Servidores Penitenciários da Bahia (Sinspeb), Geonias Oliveira, denunciou a insuficiência no número de agentes, além da falta de equipamentos de vigilância e proteção individual. Nesta quarta-feira (27) a categoria entrou em greve por tempo indeterminado. Os trabalhadores reivindicam da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap) o cumprimento dos cerca de 30 itens apresentadas pelo Sinspeb, tais como a efetivação de concurso público, adicional de insalubridade, porte de armas e reformas nos presídios.