Dois servidores da prefeitura de Salvador são presos

Foto: Reprodução/Hype Science
Foto: Reprodução/Hype Science

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Vânia de Oliveira Coelho e Antônio Carlos Nobre de Carvalho, servidores da prefeitura de Salvador, foram presos nesta quarta-feira (25). Eles e mais dois empresários estão envolvidos em um esquema de fraudes em licenciamentos ambientais e cobrança de propina que funcionou dentro da antiga Secretaria Municipal de Transporte e Urbanismo (Semut), atual Secretaria Municipal de Urbanismo (Sucom).

Denominada de “Verde Limpo”, a operação feita em conjunto com o Ministério Público Estadual (MP-BA) e a Polícia Civil desarticula um esquema em que servidores da prefeitura municipal desenvolviam a autuação ilegal em diversas empresas, a exemplo de restaurantes, concessionárias de veículos e de motos, oficinas, padarias, empresas de construção civil e gráficas.

Vânia de Oliveira Coelho atuava na coordenação da extinta Diretoria Geral de Licenciamento e Fiscalização Ambiental (DGA), Antônio Carlos Nobre de Carvalho, trabalhava no mesmo setor da Semut, como fiscal. Ele se dirigia às empresas sem licença ambiental para fazer exigências, parte inicial do esquema constatado pelo MP-BA.

Os empresários Marcos Carvalho Silva e Rafael Oliveira Barreto também foram presos. As duas empresas beneficiadas com o esquema foram a BDPECO, do empresário Marcos Carvalho e AMBSERV Engenharia, do empresário Rafael Oliveira Barreto. Elas eram beneficiadas pelos servidores colocando-as aptas para cumprir os contratos licitatórios junto à Prefeitura.

O grupo vem sendo investigado pelo MP-BA desde o ano passado, mas a suspeita é que a fraude já ocorra desde 2013.