Edílson é denunciado por fraude em loterias

Edílson é acusado de aliciar gerentes de bancos. Foto: Reprodução/Gazeta Esportiva

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Edílson é acusado de aliciar gerentes de bancos. Foto: Reprodução/Gazeta Esportiva
Edílson é acusado de aliciar gerentes de bancos. Foto: Reprodução/Gazeta Esportiva

Em documento divulgado nesta terça-feira (24), o Ministério Público Federal ofereceu denúncia contra o ex-jogador da seleção brasileira Edílson, também conhecido como “Capetinha”, após suspeitas de participação de fraudes em pagamentos de prêmios de loterias da Caixa Econômica Federal. Ele é um dos investigados da Operação Desventura, deflagrada no dia 10 de setembro. Acusado de aliciar gerentes de bancos para a quadrilha, Edílson chegou a ser detido para prestar esclarecimentos.

Conforme a denúncia do MPF, ele era um dos “responsáveis pela captação e recrutamento” de gerentes de banco dos estados de Goiás, São Paulo e Bahia para “validar bilhetes clonados, transferindo recursos federais (loteria) para a organização”. O MPF chegou a pedir a prisão de Edilson quando a operação foi deflagrada em setembro. No entanto, de acordo com o procurador da república Hélio Telho, Edílson tinha relacionamento próximo com os líderes da organização, mas sua função era “apenas a de usar da fama e as grandes movimentações financeiras que fazia para aliciar gerentes do banco para as fraudes”.