Estado Islâmico reivindica autoria de atentado na França

addd00575f98016dc8158edf488c19f51243bdbe

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Neste sábado (16) a agência Amaq, ligada ao grupo jihadista, revelou que o grupo radical Estado Islâmico (EI) reivindicou o massacre em Nice, no sul da França. “O autor da operação é um soldado do Estado Islâmico. Executou a operação em resposta aos chamados para atacar cidadãos dos países da coalizão internacional que lutam contra o EI no Iraque e na Síria”, afirmou a Amaq.

O ataque em Nice foi feito por um motorista que avançou com um caminhão entre as pessoas que estavam à beira-mar, festejando a queda da Bastilha na última quinta-feira (14), deixando 84 mortos e 200 feridos. O motorista, identificado como Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, de 31 anos, um tunisiano residente em Nice, foi morto pela polícia.

No dia 21 de maio, o porta-voz do EI, Mohammad al Adnani, conclamou seus seguidores a realizar mais atentados no Ocidente, especialmente na Europa e Estados Unidos, por causa do mês sagrado do Ramadã, que terminou no último dia 5 de julho. No discurso de 31 minutos de duração, divulgado pelas das redes sociais, o porta-voz do EI pediu para seus simpatizantes que qualquer ataque, por menor que seja, na casa do inimigo, é melhor que um grande nos territórios que controlam.

 

A polícia francesa prendeu neste sábado três pessoas em Nice como parte da investigação aberta sobre o atentado, subindo para cinco o número de detidos. O primeiro-ministro disse que a França irá ganhar a guerra contra o terrorismo, mas admitiu temer que “novas réplicas aconteçam”. “Os terroristas procuram nos dividir”, prosseguiu, criticando políticos que “não estão à altura do momento”, sem deixar claro a quem se referia.

(*G1)