Festa D’Ajuda pode se tornar Patrimônio Imaterial da Bahia

A Festa D'Ajuda ocorre desde o início do século XIX entre os meses de outubro e novembro Foto: Carol Garcia/GOVBA

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
A Festa D'Ajuda ocorre desde o início do século XIX entre os meses de outubro e novembro Foto: Carol Garcia/GOVBA
A Festa D’Ajuda ocorre desde o início do século XIX entre os meses de outubro e novembro
Foto: Carol Garcia/GOVBA

A Festa D’Ajuda, que é realizada anualmente em Cachoeira, no Recôncavo Baiano, pode se tornar o próximo Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia. As pesquisas já foram finalizadas e um dossiê enviado para o Conselho Estadual de Cultura da Bahia (CEC).

“Acompanhamos a manifestação e suas celebrações, realizando estudo etnográfico, de observação, coletas de imagens, depoimentos e escolha de iconografia que enriquecessem o processo para a elaboração do dossiê”, relatou o gerente de Patrimônio Imaterial (Geima) do Ipac, Roberto Pelegrino.

O documento descreve aspectos históricos, culturais, sociais, econômicos e políticos. Após votação no conselho, o dossiê é enviado ao secretário de Cultura, que o encaminha para a aprovação do governador. Caso aprovado, é publicado um decreto no Diário Oficial do Estado.

Segundo a tradição, a festa ocorre desde o início do século XIX entre os meses de outubro e novembro. Os festejos iniciaram-se a partir da capela de mesmo nome, inicialmente devotada à Nossa Senhora do Rosário e depois, com a transferência para a atual matriz, à Nossa Senhora D’Ajuda.