Ford chega a acordo com sindicato e encerra de vez as atividades em Camaçari

Foto: Barbara Ladeira/ Divulgação

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Com uma história de duas décadas como responsável por parte importante da atividade econômica do polo industrial de Camaçari, a Ford encerrou de vez suas atividades na Bahia. A montadora de automóveis selou um acordo hoje (12) em assembleia com o Sindicato dos Metalúrgicos (STIM), e pôs fim ao imbróglio que teve início em janeiro, quando anunciou a decisão.

Dos cerca de quatro mil funcionários lotados em Camaçari, aproximadamente 70% será contemplado com o acordo, que prevê o pagamento de indenização mínima de R$ 130 mil para todos eles, independente do tempo de serviço.

O cálculo-base determina que os funcionários operacionais recebam 2,05 salários nominais por ano trabalhado, acrescido de um valor fixo adicional. Já os trabalhadores administrativos têm direito a um salário nominal por cada no trabalhado na montadora. O acordo inclui ainda a concessão de seis meses de plano de saúde por meio do Sindicato e uma remuneração extra para os trabalhadores operacionais que possuem algum tipo de restrição médica.

A multinacional sediada nos EUA informou que vai também promover um programa de qualificação dos profissionais e ajudá-los a se recolocarem no mercado, por meio de uma empresa especializada.

A partir da próxima semana a Ford deve disponibilizar no sistema interno da empresa o Plano de Demissão Incentivada, que precisa ser homologado individualmente por cada trabalhador, que tem um prazo de 15 dias para assinar o acordo. Os que não aceitarem, podem tentar o ressarcimento pela Justiça.

A Ford foi a primeira fábrica automobilística implantada no Brasil, ainda em 1919, sendo a filial no Centro de São Paulo a precursora. Ao longo dos anos a montadora foi expandindo para outras cidades enquanto acompanhava o ‘boom’ dos automóveis em todo o mundo.

Nos anos 30, o dono da multinacional, Henry Ford fundou a Fordlândia, uma vila localizada no Pará e que servia para a obtenção de matéria-prima fundamental para a produção dos carros, como a borracha extraída das seringueiras e utilizada nos pneus.

Na Bahia, a empresa chegou em 2001 onde instalou em Camaçari o Complexo Industrial Ford Nordeste, com procedimentos avançados de tecnologia e produção. À época, o investimento na fábrica foi de R$ 1,3 bilhão com a estimativa de 150 mil carros montados por ano.