Funcionários dos Correios decretam greve na Bahia

Categoria recusou proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Foto: Divulgação/Sincotelba.
Categoria recusou proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Foto: Divulgação/Sincotelba.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Categoria recusou proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Foto: Divulgação/Sincotelba.
Categoria recusou proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Foto: Divulgação/Sincotelba.

Os trabalhadores dos Correios decidiram entrar em greve na Bahia e mais 20 estados do Brasil após assembleia realizada na noite desta terça-feira (15). Conforme o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos do Estado da Bahia (Sincotelba), a categoria reivindica um reajuste de 12,94%, de acordo com a inflação do período, e R$ 40 de tíquete alimentação. Os funcionários voltam a se reunir nesta quarta-feira (16), às 15h, na Praça da Inglaterra, no Comércio, em Salvador, para fazer uma avaliação no movimento no país e continuar a mobilização.

A proposta recusada pelos trabalhadores dos Correios foi apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e prevê R$ 200 de reajuste linear para a categoria, em forma de gratificação, a ser paga: R$ 150 a partir de agosto de 2015 e mais R$ 50 a partir de janeiro de 2016, com incorporação de 25% dos R$ 200 em agosto de 2016. A proposta inclui também aumento de 9,56% nos benefícios vale cesta e vale-alimentação/refeição.

O TST também garante o auxílio para dependentes especiais e auxílio creche/babá a partir de agosto de 2015; a incorporação de R$ 150 da Gratificação de Incentivo à Produtividade, que de acordo com os Correios já está sendo paga desde o ano passado, sendo R$ 100 em janeiro de 2016 e R$ 50 em maio de 2016; e a manutenção do plano de saúde como está hoje (cláusula 29 do atual acordo coletivo).

Com foto e informações do site do jornal A Tarde.