Gravação da 25° Pandeirada Fests acontece no próximo dia 14/02 com participação de artistas feiresnes

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Após 24 anos reunindo pessoas e sentindo o calor humano da comunidade Olhos d’água, Tomba, Brasilia e adjacências, a 25º edição do Pandeirada Festa, que acontece sempre no dia 24/06, irá acontecer virtualmente por causa da pandemia. O evento irá acontecer na área verde de um espaço da cidade, no próximo dia 14/02 e transmitido nas redes sociais do projeto Afro Pop Tambores Urbano.

Além de cumprir todos os protocolos do Ministério da saúde para realização de eventos, só terá acesso ao espaço de gravação os músicos e a equipe de produção.

Nesta edição a Pandeirada Fest conta com a participação da banda Afro Pop, o cantor Ney Jamaica, Gean Santana, Richardson, e Silvio Pires, artistas feirenses que sempre apoaram e participaram do avento.

A gravação da 25º edição da Pandeirada Fest irá servir para guardar o momento em que o mundo precisou se adptar para realizar tradicionais eventos na cidade, jamais um evento dessa grandeza poderia acontecer sem a presença marcante do público que acompanha o movimento há vinte e cinco anos.

O idealizador do projeto, Gilson Moreira é enfático em dizer que se sentiu lisonjeado em perceber que a comunidade sentiu falta do evento e principalmente de contribuir ativamente para a cultura da cidade. “Esse evento que já é tradição nos festejos juninos do município e a cada edição se consolida como o mais democrático e o mais esperado evento persuasivo de Feira de Santana, o fato de não ter acontecido na data tradicional nos atentou para a necessidade que a cidade tem em abraçar os eventos da culturais”.

“Outro ponto importante para a realização do evento é que nesse momento os alunos de percussão e dança, que são assistidos pelos projeto cultural afro pop tambores urbano podem de fato botar em prática o que apredem nas oficinas e isso é muito importante para darmos continuação a um projeto tão valioso para uma comunidade tão carente e periféricas, destaca Gilson Moreira.