Gregos votam contra exigências de credores por empréstimo

Gregos comemoram resultado do referendo em Atenas (Foto: Reprodução - Yannis Behrakis)
Gregos comemoram resultado do referendo em Atenas (Foto: Reprodução - Yannis Behrakis)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Gregos comemoram resultado do referendo em Atenas (Foto: Reprodução - Yannis Behrakis)
Gregos comemoram resultado do referendo em Atenas (Foto: Reprodução – Yannis Behrakis)

Os gregos decidiram ontem (5), em referendo, não aceitar as condições dos credores do país em troca de ajuda financeira, dando o primeiro passo para o que pode culminar na saída do país da zona do euro. As medidas exigidas pelos parceiros europeus incluíam aumento de impostos e cortes nas aposentadorias. Com 100% dos votos apurados, o “não” ficou com 61,31% dos votos. Segundo as agências de notícias, a votação ocorreu sem incidentes. A estimativa é que 65% dos eleitores tenha comparecido à votação.

“O referendo de hoje não teve ganhadores nem vencedores. É uma grande vitória em si mesma”, disse o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, após a confirmação do resultado. “Mesmo nas circunstâncias mais difíceis, a democracia não pode sofrer chantagem”, afirmou, falando indiretamente sobre as condições impostas pelos europeus. Segundo o primeiro-ministro, a prioridade imediata é restabelecer o sistema bancário – cujas agências estão fechadas há uma semana por falta de liquidez – e a estabilidade econômica do país.

Após o a vitória do “Não”, a Comissão Europeia anunciou que respeita o resultado do referendo na Grécia e indicou que seu presidente, Jean-Claude Juncker, consultará ainda hoje altos dirigentes de instituições europeias. Juncker terá uma teleconferência com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk; com o dirigente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, e com o diretor do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, informou a Comissão em um comunicado.