Hollyfield perde para Todo Duro nos pontos

Deu Pernambuco na 'Luta do Século'. Foto: Reprodução.
Deu Pernambuco na 'Luta do Século'. Foto: Reprodução.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Deu Pernambuco na 'Luta do Século'. Foto: Reprodução.
Deu Pernambuco na ‘Luta do Século’. Foto: Reprodução.

No seu retorno aos ringues na noite desta terça-feira (11), em Recife, o pugilista baiano Reginaldo ‘Hollyfield’, de 49 anos e que teve a maior parte do corpo queimada há quatro anos, perdeu nos pontos a chamada ‘Luta do Século’ para o seu arquirrival, o pernambucano Luciano ‘Todo Duro’, ao fim de seis rounds. A luta foi muito pouco técnica. Sem a mesma energia de 20 anos atrás, os atletas gastaram a maior parte do tempo se agarrando. Eles também se desequilibraram e caíram inúmeras vezes, exigindo demasiadamente a intervenção do árbitro.

Hollyfield não sentiu a pressão da torcida, que a todo tempo cantava o “uh, vai morrer” ou um “ah, ‘estraçaia'”. Fisicamente mais forte que o adversário, o baiano disparou mais socos e tomou a iniciativa durante toda a luta, em busca de um direto certeiro. Chegou a colocar Todo Duro na lona dessa maneira, logo no começo do 1º round, mas o árbitro considerou o golpe irregular e não abriu contagem.

A arbitragem continuou interferindo nos rounds seguintes, quando o protetor bucal de Hollyfield começou a cair insistentemente da boca – pelo menos cinco vezes. O juiz central puniu o atleta em três momentos por esse motivo, o que deixou o córner do baiano irritado: para eles, a proteção caía como efeito dos golpes que o lutador tomava, e não como uma estratégia dele para ganhar tempo.

No fim, Todo Duro, de 51 anos, conquistou a vitória por ter sido mais incisivo. Lutando no contra-ataque e com um pouco mais de fôlego que o rival, o pernambucano disparou menos golpes, porém causou mais estrago em Hollyfield. No último round, por exemplo, o atleta chegou a encaixar uma sequência boa de socos que deixou o baiano atordoado, mas não nocauteado.

Cinco mil pessoas esgotaram a capacidade do Clube Português. Ao final, o ringue, cheio de pessoas, acabou desabando. Desse modo, uma das rivalidades mais antigas do boxe brasileiro foi desempatada: Todo Duro chegou à quarta vitória contra três do eterno rival. A última luta da carreira de cada um pode acontecer em Salvador, no começo de dezembro.

Com informações do site do jornal A Tarde.