Indicação pede construção de Hospital do Coração da Bahia

Deputado estadual Sidelvan Nóbrega (PRB)
Foto: Divulgação
Deputado estadual Sidelvan Nóbrega (PRB) Foto: Divulgação

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Através de indicação apresentada na Assembleia Legislativa, o deputado Sidelvan Nóbrega (PRB) sugeriu que o governo “tome as providências cabíveis para a criação e construção do Hospital do Coração da Bahia”. Ele justifica que “50 mil pessoas morrem todo ano no país de insuficiência cardíaca”, sendo o Brasil “o primeiro em números de mortes” por causa deste mal. Nóbrega informa que “é alta a prevalência de doenças cardiovasculares na Bahia e, com base em informações da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia a hipertensão arterial e as doenças cardiovasculares são as de maior incidência”.

Deputado estadual Sidelvan Nóbrega (PRB) Foto: Divulgação
Deputado estadual Sidelvan Nóbrega (PRB)
Foto: Divulgação

De acordo com o parlamentar, em 2006, 37.944 mulheres precisaram de internamento, enquanto o número de homens foi de 32.095; em 2007, 41.062 mulheres precisaram de cuidados hospitalares e os homens, 34.875 internações. Em 2008 a quantidade de mulheres internadas caiu, mas ainda foi de 35.260 hospitalizadas para 30.650 homens.

Ainda citando informações da Sesab, a indicação do parlamentar adianta que “até março de 2015, mais de 12,3 mil pessoas foram internadas com doenças do aparelho circulatório como hipertensão, isquemia cerebrovascular, arteriais, entre outras”. A doença cardíaca “é a principal causa de hospitalização de maiores de 65 anos de idade na Bahia, sendo um problema de saúde pública”, analisa o parlamentar.

Para ele, “a construção do Hospital do Coração especializado em atendimento em doenças cardiovasculares, com tecnologia de última geração, boa infraestrutura e profissionais qualificados, além de evitar a peregrinação por vagas em hospitais de crianças e adultos portadores de doenças cardíacas, pode se tornar um hospital de referência no Brasil”.