Inquérito aponta queda como causa da morte de estudante no Rio Vermelho

Leonardo Moura foi espancado por ao menos dois homens (Foto: Reprodução/Facebook)
Leonardo Moura foi espancado por ao menos dois homens (Foto: Reprodução/Facebook)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Leonardo Moura foi espancado por ao menos dois homens (Foto: Reprodução/Facebook)
Leonardo Moura morreu no dia 11 de julho (Foto: Reprodução/Facebook)

O inquérito que apura a morte do estudante e produtor cultural Leonardo Moura, 30 anos, apontou uma queda como causa do óbito. O jovem morreu no dia 11 de julho e, de acordo com a família, ele teria sofrido um ataque homofóbico ao sair de uma boate no Rio Vermelho dois dias antes.

De acordo com a Polícia Civil, 14 pessoas foram ouvidas, entre socorristas, policiais militares, familiares, moradores da região e a médica do Hospital Geral do Estado (HGE) responsável pelo primeiro atendimento ao rapaz.

A médica do HGE corroborou com a descrição dos socorristas. “Ele estava cheio de areia e com escoriações simétricas e discretas. Não havia sangramento aparente, nem lábios partidos. Não se queixava de dor”, disse.

Ela também disse que ele estava relutante. “Ele não queria ficar na maca, saía o tempo todo. Tanto que fui avisar ao chefe do plantão que ele estava inquieto e, por isso, difícil de intermediar a solicitação dos exames (tomografia da região da bacia, tronco, pescoço e cabeça). Ao voltar para sala de sutura, onde Leonardo estava, não o encontrei e relatei o sumiço”, explicou.

Conforme a Polícia Civil, a versão coincide com a de três testemunhas que viram o estudante cair com o rosto voltado para a areia. “Não existem imagens no local onde ele caiu, mas as informações coletadas, principalmente as testemunhas e os profissionais de saúde, são suficientes para fecharmos o caso”, disse a delegada Mariana Ouais, titular da 1ª DH, que presidiu o inquérito.