Luiz Caldas é indicado ao Grammy Latino

Cantor Luiz Caldas é uma das atrações gratuitas do Circuito Osmar, no Campo Grande (Foto: Amanda Oliveira/GOVBA)
Cantor Luiz Caldas é uma das atrações gratuitas do Circuito Osmar, no Campo Grande (Foto: Amanda Oliveira/GOVBA)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

O cantor e compositor baiano Luiz Caldas, que acaba de ser indicado ao Grammy Latino 2021 com o álbum Sambadeiras, lança novo trabalho nesta sexta-feira, 1º. Intitulado Omi, que significa água em ioruba, o novo disco dialoga com o momento, já que a água é um elemento ligado às emoções para religiões como o Candomblé.

E vem também da África a inspiração sonora de Omi, uma vez que suas canções trazem as batidas dançantes de ritmos africanos para embalar letras que lembram o quanto essencial é a água para a sobrevivência e a prosperidade. Dentre as parcerias presentes em Omi, destaque para Tambor na Alma, que Luiz Caldas compôs junto com Paulinho Boca de Cantor. Ao lado de César Rasec, também nasceu Mudar de Cor, última canção do disco, que é o 116º do projeto de lançamentos mensais do artista.

Uma dessas produções mensais é “Sambadeiras”, álbum que está entre os selecionados da categoria Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa: “Fiquei sabendo pelo storie de um fã no Instagram e fiquei feliz demais. Todo mês eu lanço um álbum e, mais cedo ou mais tarde, isso viria a acontecer. Estou realmente muito alegre com o reconhecimento a essa obra”. O trabalho foi lançado no mês de abril deste ano.

Em Sambadeiras, o artista mergulhou no Samba de Roda do Recôncavo Baiano, reconhecido pela Unesco como Patrimônio Cutural Imaterial da Humanidade. O álbum traz dez canções que o músico dedica aos artistas da região, em especial ao cantor, compositor, violonista e grande conhecedor da cultura popular da Bahia, Roberto Mendes.