Marcelo Yuka escreve sobre assalto que o deixou paraplégico

Yuka foi baleado ao tentar impedir que bandidos roubassem o carro de uma mulher. Foto: Reprodução/Espiritualidade nos Negócios

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Yuka foi baleado ao tentar impedir que bandidos roubassem o carro de uma mulher. Foto: Reprodução/Espiritualidade nos Negócios
Yuka foi baleado ao tentar impedir que bandidos roubassem o carro de uma mulher. Foto: Reprodução/Espiritualidade nos Negócios

Há exatos 15 anos, em 9 de novembro de 2000, o baterista e letrista Marcelo Yuka, fundador do grupo “O Rappa”, foi vítima da violência urbana que o deixou paraplégico. Yuka fez um registro em seu perfil no Facebook no qual diz: “Se cheguei até aqui foi por amor”.

“No dia de hoje, há exatos 15 anos atrás, 9 tiros me colocaram na cadeira de rodas… Me perdi, subi e desci ao inferno sem ter a certeza que não voltaria mais à escuridão… Se cheguei até aqui foi por amor, o amor de várias mulheres, amigos e mestres de todas as idades…. Minha mãe para positivar a data me deu esse dia como mais uma comemoração à vida, logo vou fazer 50 anos enquanto tenho 15… Obrigado a quem realmente esteve e está do meu lado durante essa jornada… Em breve posto a letra da música que a Céu canta no meu disco, em que agradeço por não viver na paralisia do rancor. Talvez essa seja a maior virtude que ganhei… Ame fora da caixa”, escreveu na rede social.

Marcelo foi baleado ao tentar impedir que oito bandidos roubassem o carro de uma mulher, nas esquinas das ruas Andrade Neves e José Higino, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Ele foi atingido por nove tiros nas costas.