Ética vai ser ensinada nas escolas

Renato Janine afirma que sempre faltou no país uma base ética para se discutir política. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Renato Janine afirma que sempre faltou no país uma base ética para se discutir política. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Renato Janine afirma que sempre faltou no país uma base ética para se discutir política. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Renato Janine afirma que sempre faltou no país uma base ética para se discutir política. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) intenta incluir a ética na formação educativa das escolas do país. O ministro Renato Janine anunciou o lançamento de um programa para fomentar o tema. O anúncio foi no Encontro Internacional Educação 360, que está acontecendo em Jacarepaguá.

De acordo com o ministro, será lançado um portal na internet que vai reunir informações e trabalhos relacionados ao tema. “Nós temos inicialmente a construção de um portal que vai unir várias ações éticas que já existem ou que estão sendo iniciadas. Por exemplo, elaboramos um material sobre o plágio, que é um problema sério sobretudo desde o ensino médio, que se torna grave no ensino superior e muito grave na pós-graduação. Então, é uma das questões éticas a discutir, bem como as questões mais básicas, como educação das crianças para o respeito ao outro, para a igualdade de todos”.

O projeto ainda não tem data definida para o seu lançamento. O ministro defende a medida argumentando que a educação para a ética pode elevar o nível do debate político do país no futuro.

Conforme publicado pela Agência Brasil, Janine afirma que sempre faltou no país uma base ética para se discutir política, o que, segundo ele, deixa até hoje o debate limitado ao bem contra o mal. “A grande forma de atacar e desestabilizar qualquer poder que seja é acusá-lo de corrupção, isso é histórico, eu procurei mostrar na palestra que isso tem 400 anos”, disse o ministro.

*Com informações da Agência Brasil