Mitos e verdades sobre impotência sexual

impotencia-sexual

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

A impotência sexual  é um assunto que amedronta muitos homens, principalmente os que vão atingindo uma idade mais avançada ou que iniciam o tratamento para alguma doença. Esse tema é bastante complexo e assustador, fazendo com que surjam muitos mitos ao seu redor.

A impotência é definida como a incapacidade de manter ou até mesmo gerar ereção peniana por tempo suficiente para que seja realizado o intercurso sexual. Apesar de ainda ser tida como um tabu, devido aos danos sofridos pelo indivíduo, esse problema é mais comum do que se imagina e afeta mais de 30 milhões de brasileiros.

  1. A maioria dos homens vai sofrer de impotência.

Verdade. Mas não é necessário ficar com medo, já que na maioria dos casos os episódios são pontuais e esporádicos. Segundo especialistas, a maior parte dos homens acima de 40 anos já teve pelo menos 1 episódio de impotência sexual em algum momento da vida.

  1. Existe um número de falhas que são consideradas normais.

Verdade. A ocorrência de falhas em até 20% das tentativas de ereções é considerada normal, ou seja, uma a cada cinco tentativas. A impotência deve ser tratada como um problema somente quando ocorre regularmente.

  1. 3. Adolescentes não sofrem com impotência.

Mito. Apesar dos níveis hormonais dos adolescentes serem mais elevados, a impotência pode ser causada por vários fatores e como consequência pode afetar homens de todas as idades. A maioria dos casos começa a manifestar os sintomas por volta dos 40 anos.

  1. Quanto maior o tamanho do pênis, mais potência sexual.

Mito. O tamanho do pênis não possui relação com o desempenho ou potência sexual. O que pode ocorrer é que a insatisfação com o corpo pode ser um fator capaz de desencadear impotência, mais isso não está necessariamente relacionado ao tamanho do órgão.

  1. A vasectomia não interfere na potência sexual.

Verdade. A cirurgia de vasectomia somente interrompe o canal que permite a passagem dos espermatozoides para fora dos testículos, de maneira que a ejaculação acontece normalmente. O desejo sexual e o desempenho não são afetados.

Fonte: www.mundodastribos.com.br

Foto de capa: www.vegetall.com.br