Morre B.B. King, o “Rei do Blues”

B.B. King em Montreux, em julho de 2009. (Foto: Valentin Flauraud / Reuters)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Morreu na madrugada desta sexta-feira (15) em Las Vegas, nos Estados Unidos, o músico B.B. King. Após sofrer uma desidratação por conta da diabetes tipo 2, da qual sofria há mais de 20 anos, o “Rei do Blues” havia sido hospitalizado no início de abril, voltando a ser internado novamente há poucos dias.

B.B. King morre aos 89 anos deixando um legado registrado em mais de 50 discos decorrentes dos quase 60 anos de carreira. Autodidata, B.B. King “criou um estilo autêntico de guitarra. Em seus solos, ao contrário de outros guitarristas, o Rei do Blues preferia usar poucas notas”, afirma a crítica especializada. O “Rei do Blues” dizia que conseguia fazer uma nota valer por mil.

Considerado o maior guitarrista de blues da atualidade, B.B. King cravou com singularidade seu nome na história da música deixando-nos sucessos que marcaram época, como “Three o’clock blues”, “The thrill is gone”, “When love comes to town”, “Payin’ the cost to be the boss”, “How blue can you get”, “Everyday I have the blues”, “Why I sing the blues”, “You dont know me”, “Please love me” e “You upset me baby”.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][/vc_column][/vc_row]