Papa Francisco relata ter tido uma namorada em autobiografia

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em autobiografia intitulada “Vida: A Minha História na História”, o papa Francisco revelou ter se apaixonado durante um dos anos de seminário para se tornar padre e confirmou ter tido uma namorada no passado. No livro, afirma também que renunciar à chefia da Igreja Católica é uma “hipótese distante” por “gozar de boa saúde”.

A autobiografia do papa será lançada no Brasil na 3ª feira (19.mar.2024), segundo a editora Harpes Collins.

Antecipada pelo jornal italiano Corriere della Sera nesta 5ª feira (14.mar.2024), a história dos 88 anos de vida do pontífice traz, dentre muitos temas, a sua vida amorosa.

Na obra, Francisco revelou ter tido uma namorada no passado e uma paixão durante a trajetória para se tornar papa.

“Já tive uma namorada no passado, uma menina muito querida que trabalhava no mundo do cinema e que depois se casou e teve filhos”, declarou.

Já após o início da vida presbiteriana, Francisco relatou ter tido uma “pequena paixão”.

“É normal, caso contrário não seríamos humanos. […] Dessa vez, porém, eu estava no casamento de um dos meus tios e fiquei deslumbrado com uma garota. Ela realmente fez minha cabeça girar com o quão linda e inteligente ela era”.

O papa disse ter ficado com a imagem da mulher em sua mente por uma semana. Durante o período, revelou ter sido difícil conseguir orar. “Felizmente, passou e me dediquei de corpo e alma à minha vocação”, acrescentou.

SEM RENÚNCIA AO PAPADO

O papa Francisco, que tem 88 anos, também negou ter a intenção de renunciar em um futuro próximo por sentir que sua saúde é boa o suficiente para continuar. “Essa [a renúncia] é uma hipótese distante, porque realmente não tenho motivos suficientemente sérios que me façam pensar em desistir”, afirmou.

Ele revelou que, em caso de algum “impedimento físico grave”, já possui uma carta, com a renúncia assinada, depositada na Secretaria do Estado da Santa Sé. Em caso de saída, Francisco disse que se mudaria para Santa Maria Maggiore, em Roma, para voltar a ser confessor e levar a comunhão aos enfermos.

“Ao longo dos anos, talvez algumas pessoas tenham esperado que mais cedo ou mais tarde, talvez depois da hospitalização, eu fizesse um anúncio como este, mas não existe esse risco: graças ao Senhor, gozo de boa saúde e, se Deus quiser, há muitos projetos ainda por realizar”, declarou.

O papa foi internado em março de 2023, na Policlínica Gemelli, em Roma, por causa de uma infecção respiratória. Em junho do último ano, passou por operação para retirada de hérnia.

Em 2022, chegou a declarar pensar na possibilidade de afastamento caso a sua saúde o impedisse de dirigir a Igreja.

Por Poder 360

Outras Notícias