Pedófilos fazem sorteio sexual com crianças na Bahia

Os pais, na maioria das vezes, são coniventes com a situação.
Os pais, na maioria das vezes, são coniventes com a situação.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Os pais, na maioria das vezes, são coniventes com a situação.
Os pais, na maioria das vezes, são coniventes com a situação.

Um dos maiores jornais do mundo, o britânico Dailly Mail, publicou nesta terça-feira (15) uma matéria sobre a existência de uma rede de exploração sexual na Bahia que promove bingos cujos “prêmios” são crianças e adolescentes que serão exploradas sexualmente pelos ganhadores do sorteio, afirma o site Mix 96 FM. Conforme o meio de comunicação, o bingo é realizado no município de Encruzilhada, distante 98 km de Vitória da Conquista, próximo da BR-116, uma das principais rotas de exploração sexual no Brasil.

A denúncia foi feita pela ONG brasileira Meninadança, que combate à exploração sexual no Brasil. Garotas entre 11 e 17 anos são rifadas por aproximadamente 30 reais. Se as meninas forem virgens, esse valor aumenta de modo expressivo. A venda dos bilhetes ocorre em plena luz do dia. E nas noites de final de semana são realizados os sorteios. As vítimas são, na maioria, garotas de municípios pequenos, áreas isoladas e pobres do sudoeste e sul da Bahia.

Quem também denuncia é o advogado Michel Farias. Ele afirma que os “eventos” são muito conhecidos e que os pedófilos vêm dos municípios vizinhos e cidades do sul e sudoeste baianos. O advogado descreve que na investigação do caso constatou a realização de um grande sorteio, onde havia muitos homens e os organizadores ganharam muito dinheiro. O Mix 96 FM entrou em contato com Farias, que confirmou todas as informações do jornal.

Conforme o delegado de Polícia Civil, Arilando Botelho, as investigações confirmam que meninas da região estão sendo rifadas. Ele acrescenta que a investigação está sendo realizada e que o processo está neste momento com o Ministério Público do Estado da Bahia. Quem também investigou o caso foi o conselheiro Tutelar de Cândido Salles, Fabio Dias, que lamenta o fato desta situação ainda ocorrer em algumas regiões do país. Para o conselheiro, a exploração sexual tornou-se uma parte comum da vida em Encruzilhada e todos sabem aonde ir para encontrar uma garota menor de idade, sendo que os pais, na maioria das vezes, são coniventes com a situação.

Os jornalistas britânicos ficaram abismados com a situação que encontraram em Encruzilhada. Já Warlei Torezani, brasileiro membro da ONG Meninadança, acostumado a constatar fatos como esse corriqueiramente durante as atuações da entidade, diz que a exploração sexual em áreas rurais remotas, principalmente ao longo das grandes rodovias, faz parte dos costumes locais, tornando-se uma regra e não uma exceção. Em Encruzilhada não é diferente. Tudo ocorre com o conhecimento e cumplicidade de várias pessoas que pouco fazem para barrar a exploração sexual, incluído as autoridades, que se fingem de cegas. O Brasil tem a segunda maior taxa de prostituição infantil no mundo e levantamentos estimam que até meio milhão de crianças estejam envolvidas no comércio sexual.

Com foto e informações do site Mix 96 FM.