Pintor expulso de rodízio por comer demais consegue quitar dívidas com a fama

750_pintor-expulso-rodizio-comer-demais-quitar-dividas_2021723151441711

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Após ter obtido sucesso ao ser expulso de um rodízio em São Paulo, o pintor João Carlos Apolonio, de 29 anos, foi convocado para realizar ações de marketing com diversas marcas. Com isso, ele, que estava desempregado em razão dos impactos da pandemia e sem pagar aluguel por cinco meses, já ganhou dinheiro suficiente para quitar as dívidas.

O rapaz é morador do Capão Redondo, na Zona Sul da capital paulista, e é pai de duas filhas, uma de 4 anos e outra de apenas 11 meses. Ele comeu 15 pratos de massa e recebeu a proposta de um funcionário para não comer mais e deixar o estabelecimento, sem pagar a conta e viu o vídeo que gravou começar a viralizar nas redes sociais.

Além do sucesso ter possibilitado que ele voltasse ao rodízio para comer mais 35 pratos, ele já recebeu um kit de pintura e um treinamento da marca de materiais de pintura, assim como empresas especializadas em materiais de construção, construtoras e restaurantes procuraram Apolonio para patrocínios.Em entrevista ao Jornal Extra, ele afirmou que no início não estava cobrando nada pelas ações, apenas indo pela empolgação. Contudo, agora o rapaz já tem assessoria e começou a ganhar dinheiro com a fama.

Apenas pelos posts que fez e por ter sua imagem atrelada ao desafio de massas no rodízio, ele vai receber cerca de R$ 8 mil, valor suficiente para quitar o aluguel e ainda sobrar para as compras de casa. “Minha esposa e minhas duas filhas estão dormindo na casa da minha sogra, porque não tenho dinheiro para fazer compras. Estão lá para comer e tomar banho”, disse à reportagem.

Ele fez tanto sucesso que antes da ocasião tinha cerca de 5 mil seguidores e agora já contabiliza mais de 40 mil. “Estou feliz pelo carinho do público. Quem acompanhava minha vida, sabe que é muito sofrida. Já morei na rua, passei por diversas necessidades, mas nunca me envolvi com coisa errada. Sempre trabalhei e corri atrás. O pessoal está com várias palavras de incentivo e eu estou aí, aproveitando esse momento, que é único”, agradeceu.