Professores de Itapetinga pedem demissão por falta de salários

Se as salas de aula ficaram vazias nas escolas municipais, o ano letivo no município, mais uma vez, não alcançarão a meta dos 200 dias letivos. (Foto: Reprodução)
Se as salas de aula ficaram vazias nas escolas municipais, o ano letivo no município, mais uma vez, não alcançarão a meta dos 200 dias letivos. (Foto: Reprodução)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Se as salas de aula ficaram vazias nas escolas municipais, o ano letivo no município, mais uma vez, não alcançarão a meta dos 200 dias letivos. (Foto: Reprodução)
Se as salas de aula ficaram vazias nas escolas municipais, o ano letivo no município, mais uma vez, não alcançarão a meta dos 200 dias letivos. (Foto: Reprodução)

Professores contratados no município de Itapetinga – Região Sul Baiana – estão  há mais de dois meses sem receber seus salários, por conta disso, vários destes servidores que formavam a militância política do prefeito José Carlos Moura (PT), estão entregando os seus cargos, para não terem que passar de novo pelo constrangimento de serem obrigados a trabalhar sem receber, como aconteceu em novembro e dezembro do ano passado.

De acordo com o Sudoeste Hoje, há informações de que dezenas de professores já pediram demissão e que muitas salas de aula ficaram vazias nas escolas municipais, que vão encerrar o ano, mais uma vez, sem alcançar a meta legal de 200 dias letivos. O problema da educação, saúde e outras áreas da prefeitura de Itapetinga não é a falta de recursos, mas sim a a irresponsabilidade, a corrupção e a falta de prioridades.