Pouco mais de 52 mil pessoas em Feira de Santana vivem em apartamentos, diz IBGE

De acordo com dados do Censo 2022 do IBGE, a Bahia apresentou pouca evolução na verticalização, sendo o 14º estado em proporção de moradores de apartamentos, em 2022 e caiu duas posições em relação ao Censo de 2010, quando havia sido o 12º.

Das 1.152 milhão de pessoas que moravam em apartamentos da Bahia, em 2022, 52.078 (4.52%) estavam em Feira de Santana. Esse número, levando em consideração a população do segundo maior município da Bahia, representa que 8.48% da população feirense moram em apartamentos. São 21.641 unidades de apartamento no município. Os dados municipais obtidos pelo jornal FOLHA DO ESTADO DA BAHIA são parte da pesquisa Características dos Domicílios do Questionário do Universo do Censo Demográfico 2022, divulgada nesta sexta-feira (23) pelo IBGE,.

Em Salvador, capital do estado, essa porcentagem chega a 55,2%, mais da metade de toda população baiana que mora em apartamentos. Em números absolutos, corresponde a 636.032, ou 26,4% da população da capital.

Embora a população baiana que vive em apartamento se concentre significativamente em Salvador, ela aumentou a participação em 9 de cada 10 cidades do estado (87,1% ou 363 dos 417 municípios), entre 2010 e 2022.

Os maiores crescimentos na proporção de pessoas vivendo em apartamentos ocorreram em Lauro de Freitas (de 6,1% em 2010 para 25,2% em 2022), Itabuna (de 12,7% para 24,6%) e Simões Filho (de 7,6% para 16,8%). As três, nessa ordem, passaram a seguir Salvador, formando o grupo de cidades mais verticalizadas da Bahia. Ilhéus (13,9%) vinha na quinta posição. Em Feira de Santana, em 2010, 2.85% moravam em apartamentos (15.826 pessoas), ante 8.48% (52.078 pessoas) registrados em 2022, um acréscimo de 36.252 pessoas residindo neste tipo de domicílio.

Todas as capitais brasileiras viram aumentar a população vivendo em apartamentos, entre 2010 e 2022. O avanço em Salvador (+5,2 pontos percentuais) foi o 8º menor entre elas, e, por isso, a cidade caiu da 9ª para a 12ª nesse ranking, no período. 
 CENSO 2010

CASAS

Em Feira de Santana, em 2022, a proporção de quem morava em casas foi majoritária, sendo 80.1% da população neste tipo de domicílio particular ou 492.054 pessoas. São 173.998 casas que o Censo 2022 contou em Feira de Santana. Em Salvador, 71,1%, ou 1.711.653 pessoas, residiam em casas. Segundo o Censo 2022, as casas predominavam em todos os municípios, e havia, em 2022, seis cidades onde toda população residia em casas ou casas de vila/condomínio: Antônio Cardoso, Canápolis, Catolândia, Ichu, Lamarão e Irajuba.

CASAS DE VILA OU CONDOMÍNIO

Com relação as pessoas morando em casas de vila ou em condomínio em Feira de Santana em 2022, este número correspondeu a 69.525 pessoas ou 11.32%, formando um grupo de cidades mais representativas de população residindo neste tipo de domicílio participar, junto com Dias d'Ávila (onde 12,7% da população moravam nesse tipo de domicílio, 7ª maior percentual do Brasil) e Camaçari (11,5%). Em Feira de Santana eram 25.656 casas de vila ou condomínio em 2022. Em Salvador, o Censo 2022 contabilizou 55.953 residentes em casas de vila ou em condomínio, ou 2,32% da população da capital.
De acordo com dados do Censo 2022 do IBGE, a Bahia apresentou pouca evolução na verticalização, sendo o 14º estado em proporção de moradores de apartamentos, em 2022 e caiu duas posições em relação ao Censo de 2010, quando havia sido o 12º. Das 1.152 milhão de pessoas que moravam em apartamentos da Bahia, em 2022, 52.078 (4.52%) estavam em Feira de Santana. Esse número, levando em consideração a população do segundo maior município da Bahia, representa que 8.48% da população feirense moram em apartamentos. São 21.641 unidades de apartamento no município. Os dados municipais obtidos pelo jornal FOLHA DO ESTADO DA BAHIA são parte da pesquisa Características dos Domicílios do Questionário do Universo do Censo Demográfico 2022, divulgada nesta sexta-feira (23) pelo IBGE,. Em Salvador, capital do estado, essa porcentagem chega a 55,2%, mais da metade de toda população baiana que mora em apartamentos. Em números absolutos, corresponde a 636.032, ou 26,4% da população da capital. Embora a população baiana que vive em apartamento se concentre significativamente em Salvador, ela aumentou a participação em 9 de cada 10 cidades do estado (87,1% ou 363 dos 417 municípios), entre 2010 e 2022. Os maiores crescimentos na proporção de pessoas vivendo em apartamentos ocorreram em Lauro de Freitas (de 6,1% em 2010 para 25,2% em 2022), Itabuna (de 12,7% para 24,6%) e Simões Filho (de 7,6% para 16,8%). As três, nessa ordem, passaram a seguir Salvador, formando o grupo de cidades mais verticalizadas da Bahia. Ilhéus (13,9%) vinha na quinta posição. Em Feira de Santana, em 2010, 2.85% moravam em apartamentos (15.826 pessoas), ante 8.48% (52.078 pessoas) registrados em 2022, um acréscimo de 36.252 pessoas residindo neste tipo de domicílio. Todas as capitais brasileiras viram aumentar a população vivendo em apartamentos, entre 2010 e 2022. O avanço em Salvador (+5,2 pontos percentuais) foi o 8º menor entre elas, e, por isso, a cidade caiu da 9ª para a 12ª nesse ranking, no período. CENSO 2010 CASAS Em Feira de Santana, em 2022, a proporção de quem morava em casas foi majoritária, sendo 80.1% da população neste tipo de domicílio particular ou 492.054 pessoas. São 173.998 casas que o Censo 2022 contou em Feira de Santana. Em Salvador, 71,1%, ou 1.711.653 pessoas, residiam em casas. Segundo o Censo 2022, as casas predominavam em todos os municípios, e havia, em 2022, seis cidades onde toda população residia em casas ou casas de vila/condomínio: Antônio Cardoso, Canápolis, Catolândia, Ichu, Lamarão e Irajuba. CASAS DE VILA OU CONDOMÍNIO Com relação as pessoas morando em casas de vila ou em condomínio em Feira de Santana em 2022, este número correspondeu a 69.525 pessoas ou 11.32%, formando um grupo de cidades mais representativas de população residindo neste tipo de domicílio participar, junto com Dias d'Ávila (onde 12,7% da população moravam nesse tipo de domicílio, 7ª maior percentual do Brasil) e Camaçari (11,5%). Em Feira de Santana eram 25.656 casas de vila ou condomínio em 2022. Em Salvador, o Censo 2022 contabilizou 55.953 residentes em casas de vila ou em condomínio, ou 2,32% da população da capital.

De acordo com dados do Censo 2022 do IBGE, a Bahia apresentou pouca evolução na verticalização, sendo o 14º estado em proporção de moradores de apartamentos, em 2022 e caiu duas posições em relação ao Censo de 2010, quando havia sido o 12º.

Das 1.152 milhão de pessoas que moravam em apartamentos da Bahia, em 2022, 52.078 (4.52%) estavam em Feira de Santana. Esse número, levando em consideração a população do segundo maior município da Bahia, representa que 8.48% da população feirense moram em apartamentos. São 21.641 unidades de apartamento no município. Os dados municipais são parte da pesquisa Características dos Domicílios do Questionário do Universo do Censo Demográfico 2022, divulgada nesta sexta-feira (23) pelo IBGE,.

Em Salvador, capital do estado, essa porcentagem chega a 55,2%, mais da metade de toda população baiana que mora em apartamentos. Em números absolutos, corresponde a 636.032, ou 26,4% da população da capital.

Embora a população baiana que vive em apartamento se concentre significativamente em Salvador, ela aumentou a participação em 9 de cada 10 cidades do estado (87,1% ou 363 dos 417 municípios), entre 2010 e 2022.

Os maiores crescimentos na proporção de pessoas vivendo em apartamentos ocorreram em Lauro de Freitas (de 6,1% em 2010 para 25,2% em 2022), Itabuna (de 12,7% para 24,6%) e Simões Filho (de 7,6% para 16,8%). As três, nessa ordem, passaram a seguir Salvador, formando o grupo de cidades mais verticalizadas da Bahia. Ilhéus (13,9%) vinha na quinta posição. Em Feira de Santana, em 2010, 2.85% moravam em apartamentos (15.826 pessoas), ante 8.48% (52.078 pessoas) registrados em 2022, um acréscimo de 36.252 pessoas residindo neste tipo de domicílio.

Todas as capitais brasileiras viram aumentar a população vivendo em apartamentos, entre 2010 e 2022. O avanço em Salvador (+5,2 pontos percentuais) foi o 8º menor entre elas, e, por isso, a cidade caiu da 9ª para a 12ª nesse ranking, no período.
CENSO 2010

CASAS

Em Feira de Santana, em 2022, a proporção de quem morava em casas foi majoritária, sendo 80.1% da população neste tipo de domicílio particular ou 492.054 pessoas. São 173.998 casas que o Censo 2022 contou em Feira de Santana. Em Salvador, 71,1%, ou 1.711.653 pessoas, residiam em casas. Segundo o Censo 2022, as casas predominavam em todos os municípios, e havia, em 2022, seis cidades onde toda população residia em casas ou casas de vila/condomínio: Antônio Cardoso, Canápolis, Catolândia, Ichu, Lamarão e Irajuba.

CASAS DE VILA OU CONDOMÍNIO

Com relação as pessoas morando em casas de vila ou em condomínio em Feira de Santana em 2022, este número correspondeu a 69.525 pessoas ou 11.32%, formando um grupo de cidades mais representativas de população residindo neste tipo de domicílio participar, junto com Dias d’Ávila (onde 12,7% da população moravam nesse tipo de domicílio, 7ª maior percentual do Brasil) e Camaçari (11,5%). Em Feira de Santana eram 25.656 casas de vila ou condomínio em 2022. Em Salvador, o Censo 2022 contabilizou 55.953 residentes em casas de vila ou em condomínio, ou 2,32% da população da capital.

Outras Notícias