Prefeitura de Feira deve decretar Situação de Emergência

Estado de emergência foi referendado pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil. Foto: Secom PMFS
Estado de emergência foi referendado pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil. Foto: Secom PMFS

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Estado de emergência foi referendado pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil. Foto: Secom PMFS
Estado de emergência foi referendado pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil. Foto: Secom PMFS

A prefeitura de Feira de Santana deve decretar Situação de Emergência em função da seca que castiga cerca de 12 mil famílias na zona rural do município. A medida foi referendada pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil e o decreto deverá ser baixado pelo prefeito José Ronaldo nos próximos dias.

A situação, conforme o secretário municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural (Seagri), Wellington Andrade, acontece em função da estiagem que já vem atingindo a região. “E já precisamos abastecer todas estas comunidades, muitas das quais situadas em locais bastante distantes da sede do município”, frisou.

Wellington ressalta que o quadro é bastante preocupante. “As chuvas que caíram na região, durante o período de abril a julho deste ano, foram generosas. Entretanto, os pequenos agricultores têm capacidade de armazenamento de água potável bastante reduzida. Os maiores reservatórios possuem capacidade máxima de 15 mil litros, sendo que a água já foi usada nos meses de agosto, setembro e outubro, ficando agora estas famílias desabastecidas”, informou.

O decreto de Situação de Emergência é necessário para que o Município adote medidas pontuais para fazer frente ao problema que aflige os moradores da zona rural de Feira de Santana. “Com o decreto a gente pode solicitar do Exército, em particular o 35º Batalhão de Infantaria, que nos auxilie no fornecimento de água através de carro pipa”, observou o secretário.

Até abril deste ano, o Exército forneceu quatro equipamentos para transporte de água potável. Desde então o serviço foi suspenso em função de Feira de Santana ter saído da situação de emergência. Agora, retornando à situação de emergência, o Governo Municipal espera que o 35º BI retorne também com o fornecimento de caminhões pipa. Além disso, a Prefeitura também pode requerer outros benefícios junto ao Estado e/ou União.