Presidente do Bahia de Feira, Jodilton Souza revela desejo de se afastar do futebol

98

O Bahia de Feira atualmente passa por um momento bastante turbulento, a equipe só disputará o Baianão em 2024 e corre risco de rebaixamento para a segunda divisão do torneio, o Tricolor Feirense ainda pode escapar da difícil situação nas próximas três partidas que encerram a fase classificatória.

Tendo em vista o contexto, o professor Jodilton Souza, CEO do Grupo Nobre, alegou que deve deixar o futebol a partir do ano que vem e deixou as portas abertas para um possível processo de transformação do clube em uma SAF.

“A ideia de gestão que temos é bem diferente do futebol, que apresenta muitas vezes, circunstâncias alheias à nossa vontade. Pensamos em passar um tempo aportando recursos para que o clube mais adiante caminhasse ‘com as próprias pernas’, mas isso não aconteceu. Então chega um determinado momento que a gente cansa”, esclareceu Jodilton.

“Além disso, não temos calendário este ano, só o Baiano, e muito provavelmente não teremos para 2025 e isso ruim porque vemos o futebol também como negócio e como todo o negócio, precisa dar o retorno a quem investe e isso infelizmente não está acontecendo, de forma que a gente se sente desgastado com toda essa situação”, finalizou, de acordo com o site Acorda Cidade, parceiro do Bahia Notícias.

O professor ainda chegou a revelar um certo desconforto, relatando as dificuldades obtidas pelo modelo de pensamento do futebol atual.

“As pessoas não têm noção dos custos que temos para montar um projeto, uma equipe para uma competição. Temos aproximadamente três meses de Baiano, onde não temos tempo para nada: perdemos dois, três jogos e estamos alijados da classificação. Há muito tempo conversamos com a Federação para mudar isso, mas infelizmente as coisas não mudam isso nos entristece demais. Como montar um projeto dessa forma? Se joga três meses e guarda as camisas? Não tem quem aguente isso”, reclamou.

O grupo empresarial Nobre, de Jodilton Souza, é quem comanda o Bahia de Feira desde 2009 e até aqui a equipe coleciona dois títulos no Baianão, uma Série B no mesmo ano e uma Série A inédita em 2011, finalizando sua última conquista com o título da Copa Governador do Estado, em 2013. A equipe também tem seis participações na Série D do Campeonato Brasileiro e quatro na Copa do Brasil no seu recente histórico.

Outras Notícias