Assassinato teria sido contratado por R$ 400,00

Guegue não aceita fim de relacionamento de 11 anos com Marina. Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Guegue não aceita fim de relacionamento de 11 anos com Marina. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Guegue não aceita fim de relacionamento de 11 anos com Marina. Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Guegue não aceita fim de relacionamento de 11 anos com Marina. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

A morte do vendedor de peixes Maicon Silva de Souza, 24 anos, o Maiquinho, foi o ‘presente antecipado de aniversário’ que Miguel Vieira Maurício Júnior, o Guegue, ‘ganhou’ no último dia 8 de julho, um dia antes de completar 34 anos, conforme o delegado Reinaldo Mangabeira, titular da 3ª Delegacia de Homicídios Baía de Todos os Santos (DH/ BTS). Guegue foi apresentado à imprensa na tarde desta segunda-feira (27), no Departamento de Homicídios (DHPP), na Pituba.

Segundo o delegado, Maiquinho foi morto por um adolescente de 16 anos, na Rua Batista Machado, em Plataforma, enquanto limpava peixes, na porta da casa da mãe. Conforme o titular, a vida de Maiquinho custou R$ 400, valor que o adolescente devia aos traficantes da área e que Guegue pagaria em troca do serviço.

 

O suspeito teria encomendado a morte de Maiquinho por vingança e ciúmes, já que ele estava morando com a ex-mulher de Guegue, de prenome Mariana. De acordo com o delegado, o preso não aceitou o fim do relacionamento de 11 anos e ameaçava a mulher e a vítima com frequência. Luzia Maria de Souza, 43 anos, mãe do vendedor, contou o que o filho vinha sofrendo. “Foram nove meses de ameaças, ele dizia: ‘vou matar seu filho, vou matar seu filho'”, relata e garante que, apesar do medo, não vai desistir de lutar para que Guegue permaneça na cadeia.

 

Com informações do site do jornal A Tarde.