Presos suspeitos de balear policial militar na BR-116

Homens estavam em uma casa abandonada em atitude suspeita. Foto: Sotero Filho/Ronda Policial
Homens estavam em uma casa abandonada em atitude suspeita. Foto: Sotero Filho/Ronda Policial

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Homens estavam em uma casa abandonada em atitude suspeita. Foto: Sotero Filho/Ronda Policial
Homens estavam em uma casa abandonada em atitude suspeita. Foto: Sotero Filho/Ronda Policial

Quatro homens suspeitos de balear Alex de Medeiros Boaventura, soldado da Polícia Militar, na última quarta-feira (12), foram presos na manhã desta sexta-feira (14), no distrito de Ipuaçu, em Feira de Santana.

Policiais da Rondesp Leste chegaram até eles após uma denúncia anônima de que homens estavam em uma casa abandonada em atitude suspeita. De acordo com a polícia, os homens atiraram contra a guarnição quando perceberam a sua presença. A polícia reagiu e um deles foi baleado na mão, sendo socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). Os outros foram detidos.

Em entrevista para o programa Ronda Policial, o Capitão Neves, subcomandante da Rondesp Leste,  disse que Antonio José Souza Silva, que foi baleado na mão e levado para o hospital, é suspeito de ter atirado contra o policial. Os demais acusados foram identificados como Jean Bruno Lima, residente no bairro Rua Nova; Anderson Amorim de Abreu e Daniel Dias da Paixão, moradores do distrito de Ipuaçu. “Um deles também é acusado da morte de um caminhoneiro na região dos Três Riachos”, acrescentou o capitão.

O PM Alex de Medeiros Boaventura foi baleado no ombro, mão e perna ao abordar dois suspeitos em uma moto no Km-7, da BR-116 sul, em Feira de Santana, na quarta-feira (12). Os homens conseguiram fugir. O PM foi socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade, mas precisou ser transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, para fazer cirurgia de reparo na mão atingida. Alex Boaventura não corre risco de morte.