Presos suspeitos de matar engenheiro em Salvador

José Gundlach morreu no Hospital Roberto Santos no último dia 5. Foto: Reprodução/Facebook.
José Gundlach morreu no Hospital Roberto Santos no último dia 5. Foto: Reprodução/Facebook.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
José Gundlach morreu no Hospital Roberto Santos no último dia 5. Foto: Reprodução/Facebook.
José Gundlach morreu no Hospital Roberto Santos no último dia 5. Foto: Reprodução/Facebook.

Dois dos três suspeitos de terem participado do roubo que resultou na morte do engenheiro de som José Fernando Álvares Gundlach, 62 anos, no último dia 4, na Rua Silveira Martins, no Saboeiro, em Salvador, foram presos, na tarde desta quinta-feira (15). Leslei Wallace de Jesus Santos, 23, e Danilo de Lima Sena, 25, foram encontrados por investigadores da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), no bairro do Nordeste de Amaralina, após denúncias.

Conforme um investigador, que preferiu não se identificar, a dupla foi presa quando tentava fugir. Até a noite, a polícia ainda não havia localizado a arma e o veículo Fiat Palio Weekend cinza (JSS -9180) utilizados no crime. As roupas usadas pelos suspeitos no dia do roubo foram apreendidas. Os homens foram ouvidos pela delegada Francineide Moura, titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), na unidade policial. Ela é responsável pelas investigações. O terceiro suspeito é procurado.

Na quarta-feira (14) a Polícia Civil divulgou as imagens das câmeras de segurança de um prédio, na Vila Laura, nas quais o trio aparece tentando roubar um carro. O registro foi feito no dia 3 (sábado), um dia antes do engenheiro ser baleado. A dupla deve ser apresentada à imprensa nesta sexta-feira (16).

O caso

José Fernando Álvares Gundlach morreu no Hospital Roberto Santos, no Cabula, um dia após levar o tiro no rosto. Ele estava em um ponto de ônibus, por volta das 13h do domingo (dia 4), no Saboeiro. Na ocasião, testemunhas relataram à polícia, que a vítima não reagiu à ação. O delegado Juvêncio Menezes, titular da 11ª Delegacia de Tancredo Neves, ouviu um familiar do engenheiro.

Com informações do site do jornal A Tarde.