Promotor é sequestrado ao sair de festa

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Em Feira de Santana – Região Centro Norte Baiana – o promotor de justiça, Audo da Silva Rodrigues, sofreu um sequestro relâmpago e teve carro, dinheiro e uma arma roubados. O promotor contou que foi rendido por dois homens armados após deixar uma festa de aniversário de um amigo com a esposa e uma colega. Ele prestou queixa na delegacia da Polícia Civil da cidade logo após ter sido abandonado pelos suspeitos em uma estrada de terra nas proximidades do município de Santo Amaro – Região Metropolitana de salvador. O promotor afirma que deixou a esposa e a amiga na porta do local onde ocorria o aniversário e foi pegar o carro, uma caminhonete, que estava estacionado a cerca de 30 metros quando foi surpreendido pela dupla.

“Os dois estavam armados e escondidos atrás do carro. Eles me renderam e me colocaram no banco de trás. Deixaram claro que não iriam fazer nada comigo e não me agrediram, mas disseram que precisavam do meu carro para fazer uma ‘parada’. Essa foi a expressão usada por eles. Depois disso, eles afirmaram que iriam abandonar o veículo”, relatou.

Audo conta que um dos criminosos ficou a todo instante com uma arma apontada para ele. O promotor disse, ainda, que teve medo de os suspeitos descobrirem sua profissão. “Fiquei com medo porque eles poderiam até me matar. Mas eles não sabiam que eu era promotor. Eu procurei obedecer tudo o que determinaram. Cerca de uma hora depois, fui deixado numa estrada de terra perto de Santo Amaro. Ainda bem que não aconteceu nada, mas fico assustado pelo nível de segurança que temos”, disse.

A esposa de Audo, Elizama Rodrigues, que ficou na porta do local do aniversário, disse que desconfiou da demora do marido em retornar. “Eu e uma amiga da gente ficamos esperando ele. O carro estava bem perto e quando ele demorou eu fiquei logo desconfiada. Sabia que tinha acontecido alguma coisa de errado. Depois, liguei para o número dele e ele não atendeu. Mais tarde, liguei de novo e percebi pela voz dele que não estava bem, apesar de dizer que estava. Foi chocante. Entrei em contato com o Ministério Público e com algumas colegas, que chamaram a polícia. Ainda bem que não aconteceu nada com ele. Ontem, ele ainda estava em estado de choque, mas hoje já está bem”, disse a mulher do promotor. Até a manhã deste domingo, ninguém havia sido preso, e o carro e os demais objetos roubados não haviam sido recuperados.